nsc

publicidade

Hostilidade

De "jogar ovos" a agressão física: as ameaças a Miriam Leitão nas redes sociais

Compartilhe

Dagmara
Por Dagmara Spautz
19/07/2019 - 18h19 - Atualizada em: 19/07/2019 - 18h40
Reprodução
Reprodução

Uma nota emitida pela organização da 13ª Feira do Livro de Jaraguá do Sul, na última terça-feira, informando os motivos para o cancelamento da presença de Miriam Leitão e do sociólogo Sergio Abranches no evento, fala em mensagens de ameaça que colocariam em risco a integridade física da jornalista. Desde então, o assunto mexeu com as instituições na cidade – especialmente a segurança pública.

A Polícia Militar veio a público para ressaltar que a cidade está entre as mais seguras do país e esclarecer que não foi consultada para uma eventual escolta. A subseção local da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), em nota assinada pelo presidente, também segue o mesmo tom, garantindo que se trata de um município seguro.

De fato, a cidade ostenta o título de “mais segura do Brasil”. Foi assim definida após levantamento para uma reportagem do «Fantástico», que mostrou os dois extremos – de um lado, Jaraguá do Sul. De outro, Altamira (PA). Foram levados em conta os números que aparecem nas estatísticas de criminalidade, como assaltos ou homicídios.

Amostra de mensagens

Pedimos à organização da Feira do Livro que divulgasse as mensagens com teor de ameaça e ofensa que levaram ao cancelamento do convite a Miriam Leitão e Sergio Abranches. Nesta sexta-feira recebemos uma pequena amostra com mensagens que foram autenticadas pelos organizadores. O compilado está na imagem que ilustra esta postagem.

Segundo eles, há muitas outras – inclusive nos telefones particulares dos membros da direção do evento.

As mensagens divulgadas fazem menção a jogar ovos e violência física. A organização decidiu preservar os autores das ameaças e ofensas. Mas uma eventual denúncia depende de boletim de ocorrência, que só poderia ser registrado por Miriam Leitão, caso quisesse levar o caso adiante.

“Informamos que foram tomadas todas as providências necessárias e de acordo com a ordem jurídica vigente, para preservar a integridade do material com a devida fé-pública e que os encaminhamentos futuros dependerão da manifestação de vontade dos ofendidos, em razão da estrutura e dos requisitos da Ação Penal por crime de ameaça”, afirmam os organizadores da Feira.

Repercussão

Nesta quinta-feira, em entrevista exclusiva à NSC, Miriam Leitão disse que ficou surpresa com a movimentação, já que não falaria de política ou economia em Jaraguá do Sul, mas de literatura. Mas disse que tem boas lembranças de Santa Catarina, e sempre se sentiu bem vinda no Estado. Miriam disse que tentar calar vozes dissonantes é "inaceitável", e coloca em risco os valores democráticos.

O cancelamento da participação da jornalista e do sociólogo Sergio Abranches na 13ª Feira do Livro de Jaraguá do Sul repercutiu em todo o país e foi um dos assuntos mais comentados do Twitter esta semana. Do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso ao jornalista Glenn Greenwald, autoridades, famosos e anônimos se manifestaram sobre o caso.

Deixe seu comentário:

Dagmara Spautz

Colunista

Dagmara Spautz

O que acontece de mais relevante em boa parte do litoral catarinense, especialmente Itajaí e Balneário Camboriú. Fontes exclusivas e informações de credibilidade nas áreas de política, economia, cotidiano e segurança.

siga Dagmara Spautz

Dagmara Spautz

Colunista

Dagmara Spautz

O que acontece de mais relevante em boa parte do litoral catarinense, especialmente Itajaí e Balneário Camboriú. Fontes exclusivas e informações de credibilidade nas áreas de política, economia, cotidiano e segurança.

siga Dagmara Spautz

publicidade

publicidade

Mais colunistas

publicidade

publicidade