O primeiro resultado das amostras coletadas de 13 tripulantes do navio MSC Seaview, que ficaram doentes nas últimas semanas, apontam para um possíveis casos de sarampo. Na segunda-feira (18) mais de 1,3 mil pessoas que trabalham no transatlântico receberam, em Balneário Camboriú, a vacina tríplice viral, que protege contra sarampo, caxumba e rubéola. O navio está em Porto Belo nesta terça-feira (19).

Continua depois da publicidade

A suspeita inicial era de que os tripulantes tivessem adquirido rubéola. Os resultados que apontam para sarampo foram feitos pelo  Instituto Adolfo Lutz, em São Paulo (SP). Segundo informação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), os resultados são inconclusivos, e ainda dependem de contraprova. Eles serão confirmados pelo Laboratório de Referência Nacional para sarampo, que é a Fundação Osvaldo Cruz (Fiocruz), no Rio de Janeiro.

A Secretaria de Estado da Saúde ainda avalia se tomará alguma medida nesta terça. A princípio, os tripulantes estão impedidos pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) de deixar o navio em Porto Belo. Não há impedimento para os passageiros, nem suspeita da doença entre eles.

Segundo a Anvisa, um médico faz o acompanhamento dos doentes a bordo, e não há registro de novos casos.

A companhia de cruzeiros MSC informou que os tripulantes que relataram os sintomas foram isolados em suas cabines e permanecem recebendo todo o atendimento médico necessário. Ainda segundo a companhia, a Anvisa foi imediatamente comunicada.

Continua depois da publicidade

O Brasil é considerado país livre de transmissão do sarampo. Surtos recentes foram considerados "importados".

O que diz a MSC

A empresa de cruzeiros emitiu nota nesta terça-feira à tarde:

"Nos últimos dias, um pequeno número de tripulantes do MSC Seaview apresentou possíveis sinais de rubéola ou sarampo. Esses tripulantes, por precaução e de acordo com as diretrizes de saúde mais rigorosas para esses casos, foram imediatamente mantidos em observação, recebendo visitas diárias de nossa equipe médica. Os membros da tripulação estão em boa saúde e combatendo ativamente os sintomas.

Para evitar qualquer possível risco para outros funcionários da tripulação ou passageiros, esses tripulantes foram isolados em suas cabines, que estão sendo cuidadosamente limpas e higienizadas duas vezes por dia como medida adicional de segurança sanitária.

Durante todo o processo, a MSC Cruzeiros trabalhou em estreita colaboração com a ANVISA. Depois de concluir todos os procedimentos de inspeção padrão, o navio recebeu a liberação da ANVISA para continuar sua viagem, seguindo o seu itinerário, e não houve impacto para os hóspedes.

Continua depois da publicidade

Como medida de prevenção, em cooperação com as autoridades de saúde da ANVISA, toda a tripulação desse navio foi vacinada. Esta medida foi tomada para garantir a imunidade a bordo dos nossos navios e garantir viagens seguras para os nossos hóspedes e tripulação.

Paralelamente a essa medida e conforme solicitado pela ANVISA, nós também alertamos proativamente todos os hóspedes a ficarem atentos a quaisquer sinais específicos de doença. Nosso Centro Médico no navio está aberto aos nossos hóspedes e um check-up médico específico para este tipo de doença é fornecido gratuitamente.

Nenhum hóspede se reportou à nossa equipe médica com sintomas de doença contagiosa e as operações do navio continuam funcionando normalmente. A programação de navegação não foi afetada".

Tripulantes de navio são vacinados em Balneário Camboriú após suspeita de rubéola a bordo

Destaques do NSC Total