nsc
    nsc

    Marinha assina nesta quinta-feira contrato para construir navios em Itajaí

    Compartilhe

    Dagmara
    Por Dagmara Spautz
    03/03/2020 - 18h27 - Atualizada em: 05/03/2020 - 06h05
    Corveta Barroso (foto: Marinha do Brasil)
    Corveta Barroso (foto: Marinha do Brasil)

    A Marinha do Brasil assina nesta quinta-feira (5), no Rio de Janeiro, o contrato com o consórcio Águas Azuis, que venceu a licitação para construir quatro navios militares. As embarcações, do tipo corveta, serão produzidas no estaleiro Oceana, em Itajaí. O contrato é estimado em US$ 1,6 bilhão – um projeto que promete dar nova vida à indústria de construção naval, movimentar empregos e uma cadeia de suprimentos pelo Estado.

    :: Navios da Marinha construídos em Itajaí vão custar R$ 9 bilhões e terão alto poder de fogo

    A expectativa era que o contrato fosse assinado ainda no ano passado, mas uma denúncia do Sindicato das Indústrias Metelúrgicas, Mecânicas e de Material Elétrico de Pernambuco, que questionou a licitação ao Tribunal de Contas da União (TCU), atrasou o processo. No fim de novembro, a representação foi arquivada.

    A assinatura, no entanto, dependia do alinhamento de uma série de itens. Não é um contrato comum: a Marinha escolheu o projeto da corveta alemã Mekko 100, e adaptou os itens da embarcação, um a um, às necessidades brasileiras.

    A construção dos navios prevê transferência de tecnologia entre Alemanha e Brasil - o consórcio Águas Azuis é capitaneado pela Thyssenkrupp e pela Embraer.

    Os inúmeros detalhes fizeram com que a data de assinatura fosse alterada mais de uma vez. Na segunda-feira (02), a Emgepron, empresa de projetos da Marinha, chegou a informar à coluna que o contrato só seria assinado no dia 20 de março. Mas o envio dos convites, nesta terça, confirmou a cerimônia para esta quinta.

    O local escolhido foi o Arsenal da Marinha, que fica na Ilha das Cobras, no Rio de Janeiro.

    Empregos

    A construção das corvetas deve gerar 2 mil vagas de emprego diretas em Itajaí, e até 8 mil vagas indiretas. A expectativa é que a contratação ocorra em 2021, quando o projeto executivo das embarcações estiver concluído.

    Participe do meu canal do Telegram e receba tudo o que sai aqui no blog. É só procurar por Dagmara Spautz - NSC Total ou acessar o link: https://t.me/dagmaraspautz​

    Deixe seu comentário:

    Últimas do colunista

    Loading...

    Mais colunistas

      Mais colunistas