nsc
    nsc

    Saúde

    Máscara de tecido não garante proteção contra coronavírus, alerta Secretaria da Saúde

    Compartilhe

    Dagmara
    Por Dagmara Spautz
    31/03/2020 - 16h34 - Atualizada em: 31/03/2020 - 18h56
    Vídeo sobre máscaras de tecido na República Tcheca (foto: Reprodução)
    Vídeo sobre máscaras de tecido na República Tcheca (foto: Reprodução)

    A Secretaria de Estado da Saúde emitiu nesta terça-feira (31) uma nota de alerta sobre o uso de máscaras de pano, de fabricação caseira, como proteção contra o coronavírus. O documento reitera uma recomendação que já havia sido feita pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). O texto afirma que “máscaras de tecido não são recomendadas, sob qualquer circunstância”.

    O assunto veio à tona esta semana, depois que viralizou um vídeo que fala da experiência da República Tcheca no combate ao coronavírus, e defende o uso de máscaras caseiras. Com 3 mil casos confirmados de covid-19, o país do leste europeu tornou obrigatório o uso de máscaras para sair às ruas – medida também tomada na Eslováquia.

    O vídeo afirma que as máscaras são uma parte do programa de prevenção, que inclui quarentena, distanciamento social e medidas de higiene. Faz parte de um movimento chamado #Masks4All, que incentiva a produção de máscaras em casa, com tecido comum. A campanha ganhou apoio do governo tcheco, e passou a rodar o mundo.

    O infectologista Marco Aurélio Sáfadi, presidente do Departamento de Infectologia da Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) e professor da Santa Casa de São Paulo (SP), diz que não há como garantir a eficácia das máscaras feitas com pano comum:

    - Do ponto de vista científico, não tem a mesma validação (que a máscara profissional). Não quer dizer que não funcionem, mas estudos mostram que protegem menos.

    Máscaras cirúrgicas

    O infectologista diz que o uso da máscara deve ser visto com muita cautela – mesmo quando se trata dos modelos profissionais. Embora reconheça que as máscaras cirúrgicas podem ter eficácia, se usadas corretamente, o médico chama atenção para a escassez de equipamentos para profissionais de saúde em todo o mundo, que se tornou um problema.

    - Num mundo ideal, com todos usando, e de maneira correta, há expectativa de contenção (do vírus). Mas esse não é o cenário do mundo real, pela carência de máscaras e porque elas não são usadas da forma correta – diz.

    O médico infectologista Osvaldo Vitorino Oliveira também é contra o uso indiscriminado de máscaras, caseiras ou profissionais, por considerar que elas fazem relaxar outras medidas de proteção.

    - Vemos uma porção de gente usando, e é um absurdo porque estão faltando máscaras para quem precisa usar. Elas trazem uma falsa sensação de segurança. A pessoa acaba pensando que está protegida, e esquece das outras medidas – alerta.

    Oliveira diz, ainda, que o ar não é o principal meio de contágio.

    - A transmissão pelo ar é insignificante. É um vírus pesado, que se deposita quase imediatamente nas superfícies. Por isso a principal medida a ser tomada é a higiene das mãos – diz.

    Participe do meu canal do Telegram e receba tudo o que sai aqui no blog. É só procurar por Dagmara Spautz - NSC Total ou acessar o link: https://t.me/dagmaraspautz​​​

    Deixe seu comentário:

    Últimas do colunista

    Loading...

    Mais colunistas

      Mais colunistas