nsc

publicidade

Dagmara

Mandado de segurança

MPSC entra na Justiça para que Balneário Camboriú autorize a Parada da Diversidade

Compartilhe

Por Dagmara Spautz
13/09/2019 - 12h44 - Atualizada em: 13/09/2019 - 15h34
Foto: Ariel Silva, Arquivo Pessoal
Foto: Ariel Silva, Arquivo Pessoal

O Ministério Público de Santa Catarina ingressou com um mandado de segurança para que a Justiça garanta a realização da Parada da Diversidade em Balneário Camboriú, marcada para o dia 17 de novembro. A organização aguarda, desde 30 de julho, resposta da prefeitura sobre o pedido de autorização para o evento. Esta é a quinta vez que o MPSC intervém para que a parada ocorra na cidade.

O mandado de segurança, que foi apresentado pela 6ª Promotoria de Justiça, afirma que a omissão da prefeitura viola o direito de resposta que qualquer cidadão tem por parte de órgãos públicos, atenta à liberdade de reunião, ao direito à liberdade de expressão e afronta os direitos humanos. Inclusive tratados internacionais, dos quais o Brasil é signatário, em que o país se compromete a garantir o direito à diversidade.

A promotoria também cita a recente decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) que criminalizou a homofobia, tornando-a equivalente ao racismo. O texto lembra que a prefeitura cede a Avenida Atlântica pra diversos outros eventos. “Mais de três mil pessoas participaram da parada realizada no ano de 2018, o que demonstra a expressividade do evento que deve ter o mesmo tratamento garantido a eventos esportivos, religiosos, festivos, tal qual, por exemplo, a festa dos amigos, realizada todos os anos”, ressalta o MP.

Multa

A assessoria de comunicação da prefeitura informou que o município vai autorizar a Parada da Diversidade. Mas a tendência é que o aval seja para a Quarta Avenida – e não para a Avenida Atlântica, como pede o Ministério Público. A medida retira o evento do principal corredor turístico de Balneário Camboriú.

O MPSC pede à Justiça que, em caso de descumprimento, a prefeitura seja condenada a pagar multa de R$ 200 mil.

Ação por improbidade

No ano passado, a postura da prefeitura de Balneario Camboriú em relação à Parada da Diversidade virou notícia nacional, depois que o então secretário de Turismo, Miro Teixeira, defendeu que deveria prevalecer o posicionamento da “maioria”, que, segundo ele, é contrária ao evento. A parada aconteceu com ordem judicial.

O prefeito Fabrício Oliveira está respondendo uma ação por improbidade administrativa, por tratamento desigual. Essa ação ainda segue tramitando na Justiça.

Deixe seu comentário:

Dagmara Spautz

Dagmara Spautz

Dagmara Spautz

O que acontece de mais relevante em boa parte do litoral catarinense, especialmente Itajaí e Balneário Camboriú. Fontes exclusivas e informações de credibilidade nas áreas de política, economia, cotidiano e segurança.

dagmara.spautz@somosnsc.com.br

publicidade

publicidade

Mais colunistas

publicidade

publicidade