nsc
nsc

Meio ambiente

Publicação de catarinenses na revista Science alerta para risco de retrocesso ambiental na costa brasileira

Compartilhe

Dagmara
Por Dagmara Spautz
12/12/2020 - 09h39
Dunas da Praia da Joaquina, em Florianópolis
Dunas da Praia da Joaquina, em Florianópolis (Foto: Felipe Carneiro, Arquivo NSC)

A conceituada revista científica Science publicou uma carta - um parecer - de dois pesquisadores e técnicos de órgãos ambientais de Santa Catarina sobre a revogação da Resolução 303/2002 do Conselho Nacional do Meio Ambiente (Conama) que trata sobre a preservação de dunas e restingas. O documento é assinado por Milton de Andrade Junior, doutor em Ciências Ambientais e engenheiro da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico Sustentável, e Wagner Cleyton Fonseca, engenheiro Ambiental do IMA e professor de Direito Ambiental da Univali.

> Como o ‘estouro da boiada’ de Ricardo Salles afeta Santa Catarina

A tentativa de revogação ocorreu em outubro, encampada pelo Ministério do Meio Ambiente. As regras foram mantidas por meio de uma liminar da ministra Rosa Weber, do Supremo Tribunal Federal (STF) – mas o caso ainda não passou pela análise de mérito, no julgamento definitivo.

> Tachar discussão ambiental de ‘histeria coletiva’ é viés ideológico

Wagner Cleyton Fonseca, um dos autores da carta publicada pela Science
Wagner Cleyton Fonseca, um dos autores da carta publicada pela Science
(Foto: )

No texto, os especialistas alertam para o risco de retrocesso ambiental no Brasil e para o possível avanço do setor imobiliário sobre dunas móveis e áreas extensas de restinga, que estão protegidas pelas Resolução. Ambos chamam atenção para o perigo de que a invasão sobre as dunas leve a processos de erosão nas cidades costeiras, e ressaltam a importância desses ambientes como refúgio e local de reprodução de aves migratórias.

Milton de Andrade Junior, um dos autores da carta publicada pela Science
Milton de Andrade Junior, um dos autores da carta publicada pela Science
(Foto: )

As dunas, especialmente, são ambientes comuns no Litoral catarinense – em Florianópolis, por exemplo.

- A duna móvel recebe e fornece areia. É uma dinâmica que não se percebe, mas que é fundamental para estabilizar a linha de costa – explica Milton de Andrade Junior.

Os especialistas decidiram emitir o documento depois que perceberam que havia desinformação sobre os reais efeitos da revogação sobre o regramento ambiental no país. Com o texto, estabeleceram quais aspectos que estão nas resoluções permanecem cobertos pelo Código Florestal, e quais não.

O que muda
O que muda
(Foto: )

Wagner Fonseca explica que os principais efeitos estão relacionados à segurança jurídica para a atuação dos órgãos ambientais.

- Sem a resolução, não há embasamento legal – alerta.

A publicação pela Science leva o assunto à comunidade científica internacional, alerta para o risco de retrocesso e respalda o trabalho dos pesquisadores catarinenses. O mesmo documento será encaminhado a todos os ministros do STF, que analisarão o caso.

Participe do meu canal do Telegram e receba tudo o que sai aqui no blog. É só procurar por Dagmara Spautz - NSC Total ou acessar o link: https://t.me/dagmaraspautz​

Dagmara Spautz

Colunista

Dagmara Spautz

O que acontece de mais relevante em boa parte do litoral catarinense, especialmente Itajaí e Balneário Camboriú. Fontes exclusivas e informações de credibilidade nas áreas de política, economia, cotidiano e segurança.

siga Dagmara Spautz

Dagmara Spautz

Colunista

Dagmara Spautz

O que acontece de mais relevante em boa parte do litoral catarinense, especialmente Itajaí e Balneário Camboriú. Fontes exclusivas e informações de credibilidade nas áreas de política, economia, cotidiano e segurança.

siga Dagmara Spautz

Mais colunistas

    Mais colunistas