nsc
    nsc

    Mais enxuta

    Queda no efetivo da PM terá impacto na Operação Veraneio

    Compartilhe

    Dagmara
    Por Dagmara Spautz
    22/08/2019 - 06h59 - Atualizada em: 22/08/2019 - 12h30
    Foto: Arquivo NSC
    Foto: Arquivo NSC

    A redução no quadro efetivo da Polícia Militar terá reflexo na Operação Veraneio deste ano. Com cerca de 500 policiais a menos em todo o Estado, em comparação com 2018, a PM prepara uma versão mais enxuta para o reforço na temporada.

    Não será possível ainda contar com os agentes do último concurso, que só estarão formados para repor as vagas em julho do ano que vem. Além disso, não há expectativa de abertura de curso de sargentos – o que, em anos anteriores, facilitava a transferência temporária de 200 policiais que migravam de outras regiões do Estado para o Litoral durante o verão. Como os policiais já tinham a previsão de se deslocar para Florianópolis para o curso, a PM aproveitava para empregá-los no reforço.

    O subcomandante-geral da PMSC, coronel Cláudio Koglin, disse que não há vagas ociosas, neste momento, para sargentos. A corporação está avaliando os números, mas a possibilidade de repetir o modelo dos últimos anos, com a utilização dos sargentos em formação na Operação Veraneio, é praticamente descartada.

    Com isto, o comando precisará deslocar policiais ativos de outras regiões do Estado – o que, em período de pouco efetivo, é um movimento delicado. Diante desse cenário, Koglin deve propor ao Conselho Estratégico da PMSC um modelo diferente dos últimos anos, com reforço alternado. A ideia é ter menos policiais na Operação Veraneio de segunda a quarta-feira, e mais efetivo de quinta a domingo.

    Além disso, a PM poderá usar o know how da Sala de Situação, que monitora as estatísticas, para deslocar o reforço conforme a necessidade.

    Gaspar

    Este ano, pela primeira vez, Gaspar está na lista das cidades que receberão reforço da PM durante a Operação Veraneio, para a região de cascatas. O Litoral, aliás, é apenas uma parte do reforço de efetivo no período no Estado, que inclui as fronteiras. Ano passado, de 53 cidades que receberam a operação, 29 estavam no Litoral.

    Tática

    Se confirmado o reforço alternado na Operação Veraneio, não será a primeira vez, segundo o subcomandante-geral. Coronel Koglin diz que, na última temporada, a tática já foi experimentada com sucesso após o período de maior movimento.

    Deixe seu comentário:

    Últimas do colunista

    Loading...

    Mais colunistas

      Mais colunistas