nsc
    nsc

    Jaraguá do Sul

    "Tenho vergonha de dizer a Miriam Leitão que não tenho como garantir sua segurança", diz coordenador da Feira do Livro

    Compartilhe

    Dagmara
    Por Dagmara Spautz
    16/07/2019 - 15h08 - Atualizada em: 17/07/2019 - 14h36
    Foto: Arthur Schliek, Divulgação
    Foto: Arthur Schliek, Divulgação

    Coordenador artístico da 13ª Feira do Livro de Jaraguá do Sul, Carlos Schroeder disse nesta terça-feira à tarde que a decisão da direção, de cancelar o convite para a jornalista Miriam Leitão e o sociólogo Sérgio Abranches participarem do evento, que ocorre no mês que vem, veio após uma “enxurrada” de mensagens nas redes sociais e no celular dos organizadores. Muitas delas, contendo ameaças à jornalista.

    A mesa de debates da qual Miriam e Abranches participariam ocorreria no dia 15 de agosto e levava o nome de “Biblioteca Afetiva”. Foi montada por Schroeder, que é o responsável por esta parte da programação. Em entrevista à coluna, ele fala sobre a decisão de cancelar a participação do casal, e diz que teve vergonha de falar sobre o teor das mensagens a Miriam Leitão.

    Entrevista: Carlos Schroeder

    O que levou ao cancelamento?

    Na segunda-feira saiu uma bateria de releases (sobre a vinda de Miriam e Abranches). Eles participariam da mesa de debates Biblioteca Afetiva, falando como construíram a formação como escritores, como jornalistas. São pessoas muito sensíveis e ligadas à literatura. Pessoas que leem muito. Os veículos de comunicação da cidade noticiaram e começou uma enxurrada de comentários nas redes sociais e nos celulares da equipe da feira. Eram 600, 700 comentários, falando em matar, em jogar ovos. Ameaças à integridade física dos convidados, em uma proporção assustadora. Tivemos uma reunião com a direção do evento. Para poupar a integridade física dos convidados e participantes, evitar tumultos, e garantir que a programação flua, foi decidido pelo cancelamento. Sempre prezamos pela responsabilidade. Tudo o que não queríamos era transformar a feira num palco de batalha.

    Essas mensagens são do público que frequenta a feira?

    Acredito que não, não sei de onde surgiu tanto ódio, intolerância, tanto repúdio. É uma pena, a gente já trouxe tantos convidados interessantíssimos, e desta vez foi um ataque brutal. Ela (Miriam) viria falar sobre seus livros, ela tem vários livros infantis.

    Você conversou com a Miriam e o Sérgio?

    Conversei com ele, e ela enviou e-mail nesta terça, sentindo muito pelo cancelamento. Mas não falei sobre as ameaças para eles.

    Por que não?

    Tenho vergonha. É de uma indelicadeza. Como escritor, tenho vergonha de falar para a Miriam Leitão que não posso trazê-la porque não tenho como garantir sua segurança.

    Ainda não é assinante? Faça sua assinatura do NSC Total para ter acesso ilimitado ao portal, ler as edições digitais dos jornais e aproveitar os descontos do Clube NSC.

    Deixe seu comentário:

    Últimas do colunista

    Loading...

    Mais colunistas

      Mais colunistas