nsc
    nsc

    Violência contra as mulheres

    Santa Catarina teve 22 feminicídios em 2018

    Compartilhe

    Por Diogo Vargas
    07/08/2018 - 20h46 - Atualizada em: 07/08/2018 - 20h50
    (Foto: Divulgação PM)

    A Polícia Militar divulgou na noite desta terça-feira dados de violência contra mulheres em Santa Catarina em 2018 com base no programa Rede Catarina de Proteção à Mulher.

    De 1º de janeiro a 31 de julho deste ano ocorreram 22 feminicídios no Estado. A PM atendeu a 10,6 mil chamados ao 190 por violência doméstica, lavrou 8,7 mil boletins e fez 3,7 mil prisões em flagrante.

    Outro dado impactante: foram 135 prisões em flagrante por descumprimento de medida protetiva de urgência entre 4 de abril a 31 de julho.

    A Rede Catarina da PM existe desde 2017 e fez mais de sete mil visitas preventivas, principalmente em Chapecó, no Oeste, cidade pioneira nas ações. No município, a corporação conta com a Patrulha Maria da Penha para qualificar o atendimento.

    Segundo a PM, a implantação da patrulha está sendo feita prioritariamente nas cidades com mais casos de violência doméstica e familiar e nas com mais de 100 mil habitantes.

    Contam com a formação da Patrulha Maria da Penha os seguintes municípios: Florianópolis, Lages, Mafra, Itajaí, Balneário Camboriú, Chapecó, Criciúma, Blumenau, Timbó, Braço do Norte, Santa Rosa de Lima, Imbituba, Grão Pará, Rio Fortuna, São Ludgero, Videira, São José, Palhoça, Biguaçu, Governador Celso Ramos, Santo Amaro da Imperatriz e Angelina.

    Os números da Rede Catarina de Proteção à Mulher da PM:

    (De 1º de janeiro a 31 de julho)

    • 10.600 chamados ao 190 de ocorrência de violência doméstica;

    • 8.724 lavrou-se boletins;

    • 3.728 prisões em flagrante delito;

    • 7.383 visitas preventivas;

    • 373 fiscalizações ao ofensor de medida protetiva de urgência;

    • 22 feminicídios em SC;

    • 395 chamados ao 190 por descumprimento de medida protetiva de urgência;

    • 135 prisões em flagrante do ofensor por descumprimento de medida protetiva de urgência (de 4 de abril a 31 de julho).

    Fonte: PMSC

    Denuncie:

    180 (central de atendimento à mulher)

    181 (Polícia Civil)

    190 (Polícia Militar)

    192 (Samu)

    193 (Bombeiros).

    Leia mais notícias e análises de Diogo Vargas

    Deixe seu comentário:

    Últimas do colunista

    Loading...

    Mais colunistas

      Mais colunistas