publicidade

Navegue por
Edsoul

Rolê com Edsoul

Coloninha divulga nota com críticas a julgamento do Carnaval

Compartilhe

Por Edsoul
19/03/2019 - 08h30 - Atualizada em: 19/03/2019 - 08h30
Gigante do Continente ficou em terceiro. Foto: Tiago Ghizoni

Nesta segunda-feira, a escola de samba Unidos da Coloninha divulgou uma nota onde manifesta indignação com o resultado do campeonato realizado no dia 3. No documento constam questões que pontualmente levam a crer que uma das juradas prejudicou a escola, se utilizando, segundo a diretoria da Unidos, de argumentos incoerentes. Como o Carnaval está sempre por aqui, tomamos a liberdade de publicar alguns trechos também na Hora.

A SRC Unidos da Coloninha, em respeito a toda comunidade e zelando pela seriedade do Carnaval de Florianópolis, vem, por meio dessa nota, expressar a sua indignação com os arbitrários critérios de julgamento utilizados pelos julgadores do desfile oficial das escolas de samba de Florianópolis de 2019, que deixaram de observar a correta orientação expressa no Manual do Julgador (documento oficial disponibilizado pela Liesf).

As questões que prejudicaram a Coloninha de possivelmente conquistar mais um título ultrapassaram o campo do subjetivismo, que é o julgamento de expressões artísticas por cada jurado, pois tratam-se de questões puramente objetivas.

No Módulo 1 (quesito Mestre Sala e Porta Bandeira), a jurada justificou a perda de 0,1 ponto ao casal de mestre-sala e porta-bandeira, pois verificou que a porta-bandeira (Carol Miranda) estava descalça.

A análise, no entanto, está manifestamente equivocada! Isso porque (1) estar descalça não é critério para penalidades; (2) se a intenção da jurada foi penalizar pela perda do calçado no decorrer do desfile, não foi justificado; e (3) a porta-bandeira não estava descalça! Inclusive, calçava o mesmo modelo de sapatilha utilizada pela Comissão de Frente.

Além disso, no módulo 3 (quesito harmonia), a jurada penalizou a agremiação em 0,1 ponto, justificando o não canto do samba enredo pela escola de samba em sua totalidade. Porém, erroneamente, ao registrar a nota final transcreveu o total de 9,8 pontos (?). Um simples cálculo de subtração comprova que – 0,1 resultaria em 9,9, e não 9,8, como calculado pela jurada.

Não sendo esses erros grosseiros, a Coloninha pontuaria o total de 267,6, que lhe daria o título de vice-campeã do Carnaval de Florianópolis 2019.

A intenção desse esclarecimento não é confrontar os títulos recebidos pelas coirmãs, mas sim evidenciar os prejuízos e danos que a escola injustamente está sofrendo pela imperícia do corpo julgador.

A SRC Unidos da Coloninha adotará as medidas cabíveis para buscar respostas e, se possível, reversão desses fatos.

Deixe seu comentário:

publicidade

Navegue por
© 2018 NSC Comunicação
Navegue por
© 2018 NSC Comunicação