nsc
    nsc

    Estudos perdidos

    Queimadas atingem área de pesquisa no IFSC de Lages

    Compartilhe

    Eduarda
    Por Eduarda Demeneck
    27/08/2019 - 15h54 - Atualizada em: 27/08/2019 - 15h55
    (Foto: Eduarda Demeneck)

    São pelo menos oito anos de pesquisas que viraram cinzas no último domingo (25). Uma das áreas mais antigas cultivadas no Instituto Federal de SC, em Lages, foi tomada pelo fogo. Pelo menos 50% da área utilizada para as pesquisas foram queimadas. Plantação de frutas como goiaba serrana, uvaia, amoras que estavam passando por experimentos no curso de Agroecologia foram perdidas.

    — Mudas que foram compradas, hora de professor, investimento em horas de pesquisa, recurso federal, porque isso aqui era um campo de pesquisa também. E é dinheiro nosso dos nossos impostos que são colocados aqui. – Lamenta a professora do curso de Agroecologia, Luciane Costa.

    O incêndio também atingiu os canos que irrigavam a plantação, palanques e cercas. Uma área de preservação permanente do instituto ficou completamente queimada. O fogo quase atingiu casas que ficam próximas à vegetação.

    Os bombeiros apuram as causas, mas a suspeita é que tudo tenha começado por conta de uma prática antiga na região nessa época – as queimadas feitas para renovação do pasto. A área fica a poucos metros do prédio do instituto. O professor de informática Robson Costa ajudou no combate às chamas.

    — A gente tentou salvar as áreas dos experimentos, tentamos abafar um pouco o fogo para que ele não subisse. Mas o fogo estava muito forte e isso não foi possível. Essa, se eu não me engano, é a terceira ou quarta vez que isso ocorre. – Comenta.

    Agora professores vão pedir uma investigação para tentar saber onde esse fogo começou.

    Deixe seu comentário:

    Últimas do colunista

    Loading...

    Mais colunistas

      Mais colunistas