nsc
nsc

Análise

Os motivos da queda de Ronaldo Carioni no DNIT de SC

Compartilhe

Evandro
Por Evandro de Assis
09/05/2022 - 12h51
Lotes 1 e 2 da BR-470 não serão 100% entregues no primeiro semestre, como prometido
Lotes 1 e 2 da BR-470 não serão 100% entregues no primeiro semestre, como prometido (Foto: Luiz Carlos Souza, NSC TV)

Ronaldo Carioni Barbosa deixou o comando do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) em Santa Catarina, nesta segunda-feira (9), por duas razões principais. Ambas mais relacionadas à interlocução política da pasta do que à gestão da infraestrutura federal no Estado.

> Receba notícias de Blumenau e região direto no Whatsapp.

Na leitura majoritária que se faz do movimento nos bastidores, Carioni não oferecia resposta às críticas que o governo Jair Bolsonaro (PL) recebe pela lerdeza nas obras rodoviárias. Aliados esperavam que a superintendência catarinense defendesse o volume de recursos à disposição para as obras e tratasse de apressar a execução. 

A presença de Carioni no cargo produzia ainda efeito colateral indesejado: cada crítica ao mau desempenho respingava no senador Jorginho Mello (PL), que o indicou para a função. Depois de ser levado à frigideira explicitamente pelo ex-ministro Tarcísio Gomes de Freitas (Republicanos), em fevereiro, a substituição era questão de tempo.

O segundo motivo é a necessidade de dar uma resposta aos catarinenses pela demora em obras como a duplicação da BR-470. Os lotes 1 e 2, entre Navegantes e Gaspar, deveriam ficar prontos no primeiro semestre, conforme o próprio Tarcísio havia anunciado em 2021. Não vai acontecer.

Nas eleições de outubro, os bolsonaristas terão segmentos de asfalto a apresentar, intercalados por viadutos inconclusos e trechos onde o solo instável não permite maior agilidade. Para piorar, os avanços que existem são percebidos como resultado do investimento de R$ 300 milhões do Estado na rodovia, e não como esforço do DNIT.

O substituto interino, Alysson de Andrade, é servidor de carreira e tem interlocução técnica constante com Brasília. Em março deste ano, foi escolhido entre 80 funcionários públicos federais para um programa de desenvolvimento de lideranças.

A portaria de exoneração aponta um culpado e dá à equipe do DNIT-SC, incluindo o próprio Ronaldo Carioni Barbosa, que é concursado, a chance de um recomeço.

Receba textos e vídeos do colunista Evandro de Assis direto no WhatsApp. Basta clicar aqui.

Leia também

Ministro põe interdição da BR-470 na conta de chuvas que vieram depois

Cai o superintendente do DNIT em Santa Catarina

Venda de hospital em Blumenau completa um ano ainda cercada por sigilo

Enchente revela à região de Blumenau um sistema de prevenção capenga

Evandro de Assis

Colunista

Evandro de Assis

Notícias e comentários exclusivos sobre o cotidiano de Blumenau e do Vale do Itajaí.

siga Evandro de Assis

Evandro de Assis

Colunista

Evandro de Assis

Notícias e comentários exclusivos sobre o cotidiano de Blumenau e do Vale do Itajaí.

siga Evandro de Assis

Mais colunistas

    Mais colunistas