Travessa Flores Filho. Esse é o nome da viela que conecta as ruas XV de Novembro e Getúlio Vargas, no Centro de Blumenau. A antiga “Rua do Besc” tornou-se um malcheiroso atalho desde que o banco fechou as portas, legando um elefante branco em endereço nobre da cidade. Mas nesta Oktoberfest a situação fugiu ao controle. A travessa virou mictório.

> Receba notícias de Blumenau e região direto no Whatsapp.

A cena da foto foi flagrada na noite de quarta-feira (20), mas poderia ser em qualquer dispersão de desfile. A ruazinha estreita e pouco movimentada encoraja os sujões. No dia seguinte à festa, zeladores de prédios precisam lavar calçadas, muros e sarjetas — e mesmo assim o odor persiste.

Segundo a organização da Oktoberfest, não é possível implantar banheiros químicos no meio da Flores Filho por falta de espaço. Eles estão na Getúlio Vargas e na XV, a poucos metros do fétido mictório ao ar livre.

Aliás, a travessa hoje cumpre um papel quase irrelevante ao trânsito. É um espaço perdido em pleno Centro de Blumenau que pede um olhar diferente, talvez com calçadas rebaixadas e algum estímulo para que o cenário fique mais convidativo ao pedestre. A Secretaria de Planejamento Urbano não tem, hoje, projeto neste sentido em vista.

Continua depois da publicidade

Receba textos e vídeos do colunista Evandro de Assis direto no WhatsApp. Basta clicar aqui.

Leia também

Indígenas deixam área militar em Blumenau, mas permanecem acampados

Oktoberfest Blumenau zera furtos de carros nas primeiras duas semanas

Barragem de Ituporanga funciona mesmo sem conserto de vazamento

Blumenau decreta horário especial em dias de jogos do Brasil na Copa do Mundo

Destaques do NSC Total