A goleada do Guarani por 4 x 1 em cima do Avaí ficou exagerada pelo que foi o jogo até os 23 do segundo tempo. Mas o Avaí esteve muito desorganizado em campo durante quase a partida inteira. Foi um time espaçado e que oferecia erros e espaços ao adversário.

Continua depois da publicidade

Avaí é goleado pelo Guarani na estreia da Série B do Campeonato Brasileiro

E o time desmoronou a partir da saída do volante estreante, Wellington, justamente aos 23 do segundo tempo. Depois da saída dele, o pouco de proteção à defesa que existia, desapareceu. Daí veio a goleada. O Guarani teve em Régis, com os espaços todos, o cara que desequilibrou o jogo e determinou a vitória para o time da casa.

Receba notícias de Florianópolis e região pelo WhatsApp

Foi um retorno decepcionante para um time que ficou treinando três semanas após a eliminação precoce no Catarinense. E não foi só frustrante pelo resultado. A atuação da equipe foi muito abaixo de qualquer expectativa para um time competitivo e que possa brigar por uma vaga à Série A.

Continua depois da publicidade

O Avaí não foi agressivo na marcação, não produziu bem com a bola no pé, jogou espaçado e com a defesa exposta em muitos momentos. Em resumo, foi um time desorganizado em campo, que defendeu mal e atacou de qualquer jeito.

O técnico Alex de Souza precisa ser cobrado. Jogo coletivo e organização é parte específica do treinador. O Avaí tem carências claras individuais. Principalmente no meio de campo. Mas isso não justifica tamanha desorganização e falta de coordenação nos movimentos do jogo, ofensivos e defensivos.

Destaques do NSC Total