A demissão de Paulo Baier no Criciúma de 2021 voltou a ser polêmica nesta semana, com troca de versões entre o treinador, hoje no Figueirense, e o então presidente do Tigre, Anselmo Freitas.

Continua depois da publicidade

Torcida do Criciúma comemora título no gramado do Estádio Heriberto Hülse; veja fotos

Baier participou do Debate Diário, da CBN Floripa, na quinta-feira e a declaração dele sobre a demissão do Tigre naquele ano repercutiu bastante no sul do estado. Perguntei a ele o que havia acontecido naquela época. O treinador disse que “nunca entendeu” a demissão e que esperava que seu trabalho tivesse sido mais valorizado. 

No Figueirense, Paulo Baier demonstra segurança, convicções e mentalidade vencedora

“Quando eu assumo o Criciúma só tinha treze jogadores pra fazer uma pré-temporada. Tu classifica o Criciúma sempre entre os quatro. Eu não entendi até hoje o motivo (da demissão)”.

Continua depois da publicidade

Confira a entrevista de Paulo Baier ao Debate Diário:

No programa desta sexta-feira, dada a repercussão em Criciúma, o ex-presidente do Tigre pediu para dar a sua versão para os fatos. Anselmo Freitas explicou e respondeu Baier:

“Na verdade, nós perdemos pro Paraná de 2 x 1 e teríamos que ter tirado o Paulo naquele momento. Então iríamos iniciar o quadrangular e empatamos com o Paysandu. Reunidos decidimos mudar porque entendemos que corríamos o risco de não subir”. 

Freitas ainda fez questão de revelar que Baier recebeu parte da premiação do acesso do Criciúma da Série C para a Série B naquele ano. 

“Eu chamei ele no meu escritório e falei ‘Paulo, se nós conseguirmos subir, tu tem muito mérito nisso e tu vai ganhar metade da premiação que tu teria direito’ e foi isso que foi feito. O Paulo não entendeu até hoje… quem sai realmente, às vezes, não entende” 

Continua depois da publicidade

Confira o Debate Diário de sexta com a participação do ex-presidente Anselmo Freitas:

Destaques do NSC Total