No final de agosto, o Figueirense estava eliminado da Série C e ninguém da direção veio a público conversar com o torcedor. Quem apareceu, mas tinha pouco a dizer, foi o executivo do futebol, Renan Mobarack. Agora, o Figueirense teve a Recuperação Extrajudicial derrubada pela Justiça e a direção também não falou ainda.

Continua depois da publicidade

O torcedor precisa saber! O que vai ser do futuro do clube? Precisam falar o presidente da Associação, o presidente da SAF e até o presidente do Conselho Deliberativo. Os chamados “poderes constituídos” que hoje são José Tadeu da Cruz, Paulo Prisco Paraíso e Norton Boppré.

Recuperação Judicial: qual o próximo passo do Figueirense com seus credores

Justiça recusa recuperação extrajudicial do Figueirense

A nota divulgada no site não diz sobre o futuro do clube. O que tenho apurado e tenha trazido aqui neste espaço dá conta de que o Figueirense caminha para pedir à Justiça a abertura de um processo de Recuperação Judicial nos moldes da Lei da SAF, que beneficia os clubes de futebol.

Continua depois da publicidade

Leia mais notícias do Esporte no NSC Total

Mas é preciso dar explicações e justificativas. É preciso sim, dar satisfações ao cliente – e neste caso é um cliente apaixonado, que sempre responde a qualquer chamado do clube. O torcedor está sempre esperando uma simples convocação para voltar e ser parceiro. Mas ele quer ser respeitado como tal. 

Ouvi uma justificativa que o silêncio “faz parte da estratégia do clube” e que “falar poderia prejudicar a estratégia sobre as ações futuras”. Mas falar com o torcedor é fundamental. Na eliminação da Série C, ao menos pra pedir “desculpas” e admitir erros. Agora, pelo menos pra dizer “estamos prontos e trabalhando”. Uma das habilidades de um estrategista é saber usar a comunicação e não revelar a estratégia. 

Destaques do NSC Total