Gustavo Kuerten voltou a ser destaque em Roland Garros. Pelo menos no canal oficial do torneio no youtube. Em um novo episódio da Série “memórias de um campeão” o vídeo de quase 24 minutos, disponibilizado nesta sexta-feira, tem Guga contando histórias significativas das três conquistas dele nas quadras de Paris, de 1997, 2000 e 2001.

Continua depois da publicidade

Da primeira conquista, Guga revela que quando deixava a quadra ao vencer o campeão de 1996, Yevgeny Kafelnikov, nas quartas de final, sabia “eu vou ser o campeão”. Ainda faltavam a semifinal e a final, mas ele “sabia” ou confiava, principalmente por ter batido Thomas Muster, campeão de 1995 e rei do saibro da época, e Kafelnikov, o campeão do ano anterior, em sequência fantástica.

20 anos do Tri: Como e o que vi da terceira conquista de Guga em Roland Garros

A conquista de 2000 é destaque pela batalha da final com o sueco Magnus Norman e os match-points seguidos. Guga revisita a agonia de finalizar uma partida que ele já tinha visto como vencida, mas que o sueco sempre conseguia levar para a disputa de mais um ponto.

E do tricampeonato de 2001, Guga conta que já tinha dado como perdida a batalha das oitavas de final contra Michael Russel. O jogo estava 2 x 0 para o americano e match-point pra ele no terceiro set. Muito vento na quadra e nada dava certo pra Guga. O manézinho descreve o ponto em que salvou o match-point e que a partir dali viu a chance de mudar a história do jogo, o que ocorreu. Foi o jogo do coração na quadra, que foi desenhado de novo três partidas depois com o terceiro título conquistado.

Continua depois da publicidade

Memórias dele e nossas, que sempre emocionam. Vale a pena rever, com imagens em alta definição e os relatos de Guga. 

Aliás, perguntei à assessoria dele sobre o motivo da postagem do vídeo, que faz parte de uma série do canal. A Série tem outros episódios e outros campeões históricos de Roland Garros, como o sueco Mats Willander e a espanhola Arantxa Sánchez. A resposta foi: “nenhum motivo especial. São fãs mesmo”. E eu digo daqui: Todos nós somos!

Leia mais:

> Guga Kuerten em Roland Garros: 20 anos do bicampeonato

> Guga Kuerten em Roland Garros: as quartas e a semifinal do bicampeonato

> Guga Kuerten em Roland Garros: a grande final e o bicampeonato

Destaques do NSC Total