A resposta para a pergunta feita no título deste artigo tem que vir do próprio Figueirense. Falta apenas uma rodada para terminar a fase de classificação da Copa Santa Catarina, o time está no G4 da competição e só depende do seu jogo para alcançar as semifinais. Seguir no único torneio que resta ao clube em 2023 é minimamente honrar a torcida alvinegra e permanecer atrás da chance de jogar a Copa do Brasil em 2024.

Continua depois da publicidade

Matheus Claudino deixa o Figueirense

Sem pausa, Figueira treina até no dia da viagem visando o Concórdia

Pelo que se viu em campo nas últimas partidas – a derrota no clássico para o Avaí e o empate com o Marcílio Dias – o time parece apenas de corpo presente, cumprindo tabela, com a maioria desinteressada. Tirando os garotos, como Bernabé, Nicolas, Pato, parece aquele time que está só esperando o ano acabar para correr para as férias.

Leia mais notícias do Esporte no NSC Total

Continua depois da publicidade

O cenário interno não ajuda, com salários atrasados dois meses, e uma direção que está mais distante e amarrada, sem condições de cobrar. Há alguns indícios de que o ano pode mesmo acabar no final de semana, no jogo de domingo contra o Concórdia.

Torcida única nos clássicos Avaí e Figueirense é ideia que não deveria prosperar

VÍDEO: Clássico pela Copa Santa Catarina é marcado por briga entre torcedores

Mas ainda há tempo para mobilização. De cima pra baixo. A direção se fazendo presente (colocando algum atrasado em dia também) e fazendo entender novamente ao grupo a importância do jogo contra o Concórdia. É o que pode trazer esperanças de um 2024 melhor para o clube e até para os jogadores, que ainda não tem uma clareza sobre o próprio futuro deles no clube.

O risco de eliminação do Figueirense é grande. 

Destaques do NSC Total