nsc
    nsc

    Juarez Machado

    Juarez Machado, de Joinville, expõe em festival em Portugal

    Compartilhe

    Gerson
    Por Gerson Junior
    11/02/2020 - 13h11 - Atualizada em: 12/02/2020 - 11h40
    Juarez Machado
    Obras de Juarez Machado compõe a exposição que fará parte do Festival Internacional de Literatura Ibérica Correntes D’Escritas (Foto: Divulgação/IIJM)

    O Instituto Internacional Juarez Machado inicia o ano de 2020 com sua primeira realização artística fora do Brasil. Portugal recebe de 18 de fevereiro até 23 de maio a exposição “A Figura em Movimento: Juarez Machado/Serigrafias”, numa promoção do Festival Internacional de Literatura Ibérica Correntes D’Escritas e da Galeria D’Arte Ortopóvoa em conjunto com o Instituto que leva o nome do artista joinvilense.

    Correntes D’Escritas é um encontro mundial que nesta 21ª edição reunirá cerca de 100 escritores, pesquisadores e intelectuais de 15 países. É realizado anualmente em Póvoa de Varzim, uma localidade histórica entre os rios Minho e Douro, terra natal de um dos maiores escritores em língua portuguesa ,o diplomata Eça de Queiroz, e muito próxima à cidade do Porto, a Capital Cultural da Europa. A Galeria D’Arte Ortopóvoa integra o circuito europeu de exposições e feiras de arte contemporânea.

    Diretor do Instituto e responsável pela iniciativa do intercâmbio internacional e pela coordenação e curadoria da exposição naquele país, o também joinvilense Edson Busch Machado, acentua o caráter cultural do evento e seu alcance promocional para as artes de Joinville: - “ A presença num encontro com diversas culturas abre a possibilidade de novos mercados para nossos artistas”, afirma Busch Machado.

    “Em visita oficial ao Brasil em 2019 a coordenadora geral do evento em Portugal, escritora Manuela Ribeiro conheceu os projetos culturais e sociais desenvolvidos pelo Instituto e nos convidou para participar e representar o Brasil na edição deste ano. Selecionamos 15 obras recentes de Juarez Machado que representam parte significativa de sua trajetória no mundo das artes. Temas recorrentes em sua obra como o espetáculo e o movimento da dança, os ateliês de artista e a série parisiense châteaux bordeaux, integram o conjunto desta exposição”, complementa o curador.

    Um sofisticado catálogo foi elaborado pelos organizadores e patrocinadores a ser distribuído aos visitantes da exposição e do encontro literário, constando imagens das obras do artista expositor e textos de apresentação de autoridades portuguesas e brasileiras:

    “Receber este talento de renome internacional é um momento excepcional. Acontecer inserido no Correntes D’Escritas, é a ocorrência de prodígios numa convergência de prestígios”, diz o administrador do espaço, Afonso Pinhão Ferreira. Já o secretário municipal de cultura, Luís Damantino escreve: “Sua arte é como o movimento de uma dança dirigida pelo desejo imanente dos corpos que se oferecem a vindima”. E, nas palavras da escritora e pesquisadora Lélia Pereira Nunes: “Juarez Machado, monsieur le peintre, é um mestre e seu sobrenome português é um orgulho para Portugal e para o Brasil “.

    Juarez, em toda sua carreira, expôs apenas uma vez em Portugal, em 1990 em Lisboa. Agora, trinta anos depois, em A Figura em Movimento, não poderá estar presente no evento, mas deixa seu recado ao público:

    “O Instituto Juarez Machado conquista seu espaço além fronteiras, eu sou apenas um contador de histórias que sabe pintar “.

    Instituto Juarez Machado
    Edson Busch Machado com uma das gravuras do artista Juarez Machado, preparando a embalagem para levá-la à Portugal, com inauguração dia 18 de fevereiro, a exposição “A Figura em Movimento”.
    (Foto: )

    Deixe seu comentário:

    Últimas do colunista

    Loading...

    Mais colunistas

      Mais colunistas