nsc
nsc

MANECA

Morre o arquiteto Manoel Coelho

Compartilhe

Leo
Por Leo Coelho
04/03/2021 - 10h41
Maneca, de 80 anos, fez história em Curitiba, mas sempre que podia, estava em Floripa e, principalmente, na praia da Armação, uma das suas grandes paixões
Maneca, de 80 anos, fez história em Curitiba, mas sempre que podia, estava em Floripa e, principalmente, na praia da Armação, uma das suas grandes paixões (Foto: Manoel Coelho Arquitetura e Design/Divulgação)

Manoel Coelho faleceu na manhã desta quinta-feira, 4, em casa, decorrência de complicações de câncer na bexiga e no fígado na cidade de Curitiba. Manezinho da Ilha, o arquiteto de 80 anos lutava contra a doença há tempos. Maneca, como era carinhosamente chamado por muitos, era apaixonado por Floripa, em especial a praia da Armação, onde frequentou durante todos os momentos de relaxamento. O arquiteto fez sua vida profissional em Curitiba, onde realizou inúmeras obras. Inteligente e muito visionário, Manoel adquiriu uma imensa conexão com Jaime Lerner. Foi ele quem criou a folhinha na logo de Curitiba durante a gestão de Lerner.

O catarinense se formou em 1967, com a primeira turma do Curso de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Federal do Paraná, onde foi professor titular e coordenador do curso por vários anos, participando também da coordenação de implantação dos Cursos de Design, em 1975.

Participou desde o início do processo de Planejamento Urbano de Curitiba, como estagiário do IPPUC – Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano de Curitiba, depois como arquiteto da equipe técnica e posteriormente como técnico consultor, desenvolveu uma série de projetos para a Cidade. Desde 1973, coordena a área de Planejamento Físico da Pontifícia Universidade Católica do Paraná, onde desenvolve os projetos de todas as instalações dos Campus Curitiba, Londrina, São José dos Pinhais, Toledo e Maringá.

Manoel também foi presidente do Instituto de Arquitetos do Brasil e ocupou a Secretaria Municipal de Desenvolvimento Urbano de Curitiba. De 1975 a 1980 coordenou um projeto de Desenvolvimento Urbano para a Cidade de Criciúma, Santa Catarina, abrangendo Projeto de Identidade Corporativa, Mobiliário Urbano, Sistema de Circulação, Paço Municipal, Centro Cultural e Centro Esportivo.

A partir de 1999, o arquiteto projeta as instalações da Universidade Positivo, com 15.000 alunos, que abriga os edifícios didáticos, esportivos, o grande Teatro Positivo e o ExpoUnimed.

Maneca proferiu palestras em várias cidades brasileiras e em alguns países; foi homenageado na 5 ª Bienal Internacional de Arquitetura de São Paulo com Sala Especial e recebeu vários prêmios, destacando-se pelos projetos na 3 ª Bienal Internacional de Arquitetura de São Paulo; Selo de Excelência na 2ª Bienal Brasileira de Design e o Grande Prêmio pelo Conjunto da Obra no XV Congresso de Arquitetos Oscar Niemeyer, em 1997.

Manoel Coelho deixa a esposa Denise e os filhos Pedro, Andre e Luciano. A família ainda não informou sobre velório e sepultamento. 

Leo Coelho

Colunista

Leo Coelho

Referência no segmento social e com vasta experiência no mercado, o jornalista traz informações relevantes e exclusivas sobre Florianópolis. Notícias de bastidores da sociedade, círculos de influência, curiosidades, frases e causos. Os olhos e ouvidos da NSC na Capital catarinense.

siga Leo Coelho

Leo Coelho

Colunista

Leo Coelho

Referência no segmento social e com vasta experiência no mercado, o jornalista traz informações relevantes e exclusivas sobre Florianópolis. Notícias de bastidores da sociedade, círculos de influência, curiosidades, frases e causos. Os olhos e ouvidos da NSC na Capital catarinense.

siga Leo Coelho

Mais colunistas

    Mais colunistas