nsc
nsc

Proibição

A semana foi de canetaço contra a diversão dos catarinenses

Compartilhe

Leo
Por Leo Coelho
27/06/2020 - 15h17 - Atualizada em: 27/06/2020 - 17h20
Falta de coerência para o fechamento dos equipamentos de entretenimento em Santa Catarina (foto: pixabay/divulgação)
Falta de coerência para o fechamento dos equipamentos de entretenimento em Santa Catarina (foto: pixabay/divulgação)

É claro que durante a pandemia muitas coisas precisam ser restritas. A prioridade total é a saúde da população. Entretanto, precisa haver coerência e bom senso nas atitudes.

Essa semana, a prefeitura da Capital e o governo do Estado deram um canetaço e tomaram algumas medidas bem questionáveis.

Em Florianópolis, shoppings foram fechados. Bares e - principalmente -restaurantes ficaram proibidos de abrir no período noturno. Esses setores vinham, em sua maioria, cumprindo – rigorosamente – todas as regras impostas pelas autoridades da OMS. Além do prejuízo pelo período fechado durante a quarentena - nos meses de março e abril - todos esses segmentos, para retornarem com suas atividades, precisaram investir em treinamento e equipamentos de segurança. Agora, do dia para a noite, tiveram suas portas lacradas por um decreto.

Já a administração estadual, no fim da última sexta-feira, dia 27, proibiu todos os drive-in catarinenses de funcionar até o dia 5 de julho.

As duas esferas, municipal e estadual, vetaram a população do conforto – e da segurança – dos shoppings e de uma das poucas diversões que restavam aos catarinenses: o drive-in.

Lamentavelmente, enquanto isso, no centro da Capital, as ruas estão cada vez mais cheias – sem nenhum tipo de controle e com pouquíssima fiscalização.

Já o transporte público, que mistura e confina a população num ambiente fechado, está liberado. Porém, curtir um filme ou um espetáculo artístico, dentro do seu próprio veículo, com todas as regras exigidas pelas autoridades internacionais, pode causar – segundo as autoridades catarinenses – um enorme problema para a saúde do Estado.

Tenho a mais absoluta certeza que o prefeito da Capital e o governador do Estado estão em busca do melhor para a comunidade. Mas dessa vez, todos eles, tornaram a pandemia num pandemônio de ideias, regras e ideologias difíceis de digerir.

Leo Coelho

Colunista

Leo Coelho

Referência no segmento social e com vasta experiência no mercado, o jornalista traz informações relevantes e exclusivas sobre Florianópolis. Notícias de bastidores da sociedade, círculos de influência, curiosidades, frases e causos. Os olhos e ouvidos da NSC na Capital catarinense.

siga Leo Coelho

Leo Coelho

Colunista

Leo Coelho

Referência no segmento social e com vasta experiência no mercado, o jornalista traz informações relevantes e exclusivas sobre Florianópolis. Notícias de bastidores da sociedade, círculos de influência, curiosidades, frases e causos. Os olhos e ouvidos da NSC na Capital catarinense.

siga Leo Coelho

Mais colunistas

    Mais colunistas