nsc
nsc

DJs & PRODUTORES

Uma entrevista exclusiva com a dupla Chemical Surf

Compartilhe

Leo
Por Leo Coelho
06/04/2021 - 08h34 - Atualizada em: 07/04/2021 - 08h11
Naturais de Maringá, os artistas moram em Santa Catarina há sete anos
Naturais de Maringá, os artistas moram em Santa Catarina há sete anos (Foto: Divulgação)

Hugo e Lucas Sanches são os irmãos que formam a dupla Chemical Surf. Os DJs e produtores têm substituído, por enquanto, os palcos dos shows pelas horas em estúdio, deixando as performances de lado para focar na produção de música eletrônica. Não foi uma escolha, na verdade, essa foi a melhor opção devido ao ano pandêmico sem eventos, mas que vem rendendo bons frutos: pelo menos 10 faixas em 2020 com números expressivos de plays nas plataformas digitais, além do remix oficial do clássico “We No Speak Americano”, de Yolanda Be Cool.

O primeiro lançamento do duo em 2021 é “Madness”, uma parceria com o também DJ e produtor Ghabe, de Manaus, lançada pela própria gravadora dos irmãos: R.I.P. Genre Records.

Naturais de Maringá, no Paraná, os artistas moram em Santa Catarina há sete anos e conquistaram o país desde jovens, com muitas turnês nacionais e passagens por diversos outros países do mundo. Eles contam essas e demais experiências, como influências de outros gêneros musicais, e apoio da família, na entrevista a seguir. Aprecie sem moderação!

1. Vocês são originais do Paraná, mas atualmente residem aqui em Santa Catarina. Essa mudança tem a ver com o clima e com a ampla vida noturna do estado? Qual a relação de vocês com SC?

R:Sempre tivemos vontade de morar no litoral de Santa Catarina. Sem dúvidas, o clima e a vida noturna influenciaram bastante. Mudamos pra cá em 2014, quando sentimos que as pessoas estavam começando a conhecer nossas músicas. Fomos muito bem recebidos pelos catarinenses e temos certeza que fizemos uma grande escolha. Amamos esse estado!

O primeiro lançamento do duo este ano é “Madness” em parceria com o também DJ e produtor Ghabe
O primeiro lançamento do duo este ano é “Madness” em parceria com o também DJ e produtor Ghabe
(Foto: )

2. Vocês começaram bem jovens na carreira, tocando no interior dos dois estados sulistas. Agora, já rodaram o mundo e lançaram músicas por grandes gravadoras. Esse sempre foi o sonho de vocês? Como enxergam essa fase da dupla?

Sempre sonhamos em levar nossa música o mais longe possível. Hoje sentimos que o mercado internacional está cada vez mais interessado nos artistas brasileiros, os grandes figurões internacionais e as maiores gravadoras reconhecem que criamos algo novo pro mercado, temos muito orgulho de ter contribuído com isso lá atrás juntamente com outros produtores brasileiros. O número de ouvintes e pedidos para shows no exterior tem aumentado muito nos últimos dois anos. Assinamos recentemente com a CAA, que é a maior agência de artistas nos Estados Unidos, tínhamos uma turnê marcada que foi cancelada por causa da pandemia e seria nossa estreia no Ultra Music Festival em Miami. Datas na África do sul e Europa também caíram, mas estamos confiantes que logo estaremos podendo, finalmente, remarcar todas as turnês.

3. Na música eletrônica, percebemos que há uma parceria grande entre os artistas, de sempre fazer música juntos e geralmente tocar em shows juntos. Como é a relação de vocês com os demais artistas?

Sim! Um dos motivos que nossa cena cresceu tanto nos últimos anos, além de termos criado um estilo próprio musicalmente falando, foi essa união entre os artistas. Já estamos com muita saudade de encontrar vários amigos que costumávamos ver com frequência antes da pandemia. Continuamos fazendo músicas juntos, mas à distância.

4. Vocês estão lançando “Madness”, com Ghabe. Essa já é a quarta música que fazem juntos. Como vocês se conheceram? O que fez com que tivessem essa grande sinergia entre os projetos?

Nos conhecemos pela internet em 2018. Ele sempre traz ideias legais com vocais originais, como foi o caso da Theff, que é sua namorada e fez o vocal da nossa faixa “Interestelar”. Temos outras músicas saindo do forno com a voz dela. A junção do nosso som com o dele tem dado um resultado interessante.

5. Vi que vocês fizeram uma versão de uma música do Gabriel O Pensador, como foi isso? Vocês são influenciados por outros estilos musicais, como funk, hip hop?

Quem fez essa ponte com o Gabriel foi o DJ Meme, que tivemos a honra de nos tornar amigos e fazer essa parceria juntos. O hip hop é um dos estilos musicais que mais escutamos desde sempre, portanto nos influenciou e influencia muito! Não temos muito conhecimento sobre o funk, mas temos muita admiração. Como brasileiros, estaríamos mentindo se falássemos que nunca fomos influenciados por esse estilo 100% nacional.

6. Uma coisa muito bacana que vi no Instagram da dupla foram as poesias feitas pelo Hugo. Você costuma escrever sempre, Hugo? O que te inspira? Isso de certa forma também ocorre com as músicas, você costuma compor as letras?

Sempre gostei de escrever rimas. Até fazíamos algumas músicas de rap quando éramos mais novos, mas nunca lançamos nada nessa época. Na música eletrônica já escrevi algumas letras para outros vocalistas executarem o vocal e também já gravei minha própria voz em algumas faixas como “Dont be Shy”, “Second floor”, “Pow Pow Pow”, entre outras.

7. Os pais parecem que são grandes incentivadores da trajetória de vocês. Vi que eles acompanharam o show no Rock in Rio. Como é essa parceria?

Eles sempre nos apoiaram e acreditaram desde o começo. Isso foi muito importante para fazer a gente não desistir quando as coisas pareciam quase impossíveis de acontecer. Já levamos eles pra nos acompanhar em festivais importantes, como Rock in rio e Lollapalooza. A presença deles nessas apresentações deixa tudo ainda mais memorável pra gente.

8. Hugo tem uma filha, a Catarina. Vocês acham que ela leva jeito pra música? Já vimos algumas imagens no Instagram e parece que ela adora! Inclusive, vocês têm fãs mirins?

Desde pequena sentimos que ela pode levar jeito pra música, tem muito interesse pelos instrumentos e adora cantar. Sobre as crianças, temos bastante fãs mirins, recebemos vários vídeos de crianças curtindo nossas músicas e adoramos postar esses vídeos!

9. Como está o planejamento de lançamentos do Chemical Surf para 2021?

R: Vamos manter a média do ano passado e continuar lançando uma ou duas músicas por mês. Com tempo de sobra no estúdio por causa da pandemia, acumulamos muita coisa que já está pronta para ser lançada, incluindo parcerias com artistas como Steve Aoki, Afrojack, R3hab, Gabriel O pensador, Sandrão do RZO, Vintage Culture, Zafrir, entre outros. Fiquem ligados!  

Leo Coelho

Colunista

Leo Coelho

Referência no segmento social e com vasta experiência no mercado, o jornalista traz informações relevantes e exclusivas sobre Florianópolis. Notícias de bastidores da sociedade, círculos de influência, curiosidades, frases e causos. Os olhos e ouvidos da NSC na Capital catarinense.

siga Leo Coelho

Leo Coelho

Colunista

Leo Coelho

Referência no segmento social e com vasta experiência no mercado, o jornalista traz informações relevantes e exclusivas sobre Florianópolis. Notícias de bastidores da sociedade, círculos de influência, curiosidades, frases e causos. Os olhos e ouvidos da NSC na Capital catarinense.

siga Leo Coelho

Mais colunistas

    Mais colunistas