nsc
    nsc

    Conscientização

    Atividades marcam o Dia da Pessoa Surda

    Compartilhe

    Lisandra
    Por Lisandra Oliveira
    25/09/2019 - 14h59
    Divulgação/Prefeitura de Joinville/ Até dia 3 de outubro estudantes participaram de várias atividades para conscientização do significado da data
    Divulgação/Prefeitura de Joinville/ Até dia 3 de outubro estudantes participaram de várias atividades para conscientização do significado da data

    O setembro azul, alusivo ao mês dos surdos, está com atividades que envolvem alunos, professores e comunidade. Elas acontecem na Escola Municipal Bilíngue Libras/Português Monsenhor Sebastião Scarzello.

    Os alunos já participaram de sessão de cinema em Libras, confeccionaram murais sobre a história do surdo e de pessoas surdas famosas. Eles colocaram a mão na massa e aprenderam uma receita de brigadeiro em libras. Foram os alunos surdos que ensinaram a receita aos colegas ouvintes.

    Nesta quinta-feira alunos e professores irão a vestir azul, cor que marca o símbolo de Libras. No dia três de outubro, os estudantes de Libras do Sesi farão uma visita aos alunos da Escola Monsenhor Sebastião Scarzello.

    Também na quinta-feira na Casa Brasil Sul, que oferece aulas de Libras em parceria com o Instituto Joinvilense de Assistência aos Surdos, acontece uma noite de confraternização com 400 alunos e voluntários. Será às 20h, na rua Júlia Teixeira Delmonego, 120, bairro João Costa.

    A diretora da escola, Ilma Alves, explica que a intenção é celebrar as conquistas da comunidade surda e motivar a todos para aprenderem a língua brasileira de sinais. “Queremos aumentar a interação entre surdos e ouvintes e estimular o aprendizado”, conta.

    A escola bilíngue Libras/Português é a primeira do ensino fundamental de Santa Catarina no ensino de Língua Brasileira de Sinais - Libras. A secretária de Educação Sônia Victorino Fachini relata que a criação da escola surgiu da necessidade da criança com surdez se apropriar da língua desde cedo. “A Libras é a língua materna do surdo, por isso a escola tem o foco de atender a partir da fase inicial de alfabetização para que haja apropriação da aprendizagem desde pequeno”, explica a secretária.

    Deixe seu comentário:

    Últimas do colunista

    Loading...

    Mais colunistas

      Mais colunistas