nsc
    nsc

    Educação

    Programa para capacitar empreendedores começa em Joinville

    Compartilhe

    Lisandra
    Por Lisandra Oliveira
    13/02/2020 - 04h50
    Phelippe José/Divulgação/ A capacitação tem duração de dois anos e vai atender 50 pessoas
    Phelippe José/Divulgação/ A capacitação tem duração de dois anos e vai atender 50 pessoas

    “Fiquei muito feliz por ter sido selecionada. Vim aprender e me atualizar para aplicar o conhecimento na gestão do meu negócio”. Com esta expectativa, Rosane Lúcia da Silva participou, da aula inaugural de 2020 do Programa Join.Cubo. O evento foi realizado no auditório do Corpo de Bombeiros Voluntários de Joinville. Incluindo Rosane, foram 50 aprovados no Processo Seletivo que atenderam os requisitos do edital, incluindo a situação de vulnerabilidade social.

    O diretor Executivo da Secretaria de Assistência Social (SAS), Fábio de Oliveira, falou do propósito de dar condições para pessoas que estão empreendendo e para que possam aperfeiçoar seus negócios. “A clientela enxerga valor naquilo que tem qualidade”, destacou. Disse que o papel da SAS, da qual o programa faz parte, inserido no Serviço de Incentivo às Organizações Produtivas (Siop), é acolher. “Temos uma equipe de 464 servidores, e somos 12.500 em toda a estrutura da prefeitura, buscando melhor atender o cidadão”.

    A incubadora pública Join.Cubo contribui para promover educação empreendedora, possibilitando maior desenvolvimento nos negócios, por meio de formações teóricas, assessoria e acompanhamento dos participantes. É destinado a empreendedores individuais ou coletivos, formalizados ou não, acima de 16 anos de idade e residentes em Joinville.

    É a quarta turma atendida. Serão dois anos de aprendizado. Neste primeiro, terão conteúdo teórico, uma vez por semana, às terças-feiras, das 8h30, às 11h30. A partir do segundo ano, serão acompanhados em consultoria na aplicação das ferramentas. Desde o início da incubadora, em 2016, já foram certificados 57 empreendedores, 18 da primeira turma e 39 das turmas 2 e 3, que receberam seus certificados no final de 2019.

    A gerente de Fomente e Rendas, Lisielen Goulart, pontuou que o empreendimento não é só o produto, por isso é preciso pensar a gestão do negócio. Destacou sobre a qualidade do conteúdo que será compartilhado, gratuitamente, com linguagem de acessível.

    Segundo ela, o Siop é considerado a porta da saída da assistência social porque trabalha justamente ações de promoção do protagonismo e participação cidadã, qualificação e mobilização social. “Ao estimular o empreendedorismo e a economia solidária, estamos desempenhando o papel de fomentar a inclusão produtiva, oferecendo subsídios para a conquista da autonomia financeira,” explicou.

    Deixe seu comentário:

    Últimas do colunista

    Loading...

    Mais colunistas

      Mais colunistas