nsc

publicidade

Loetz

Economia

Águas de Joinville define estratégias para garantir o equilíbrio financeiro da companhia

Compartilhe

Por Loetz
23/03/2019 - 10h24 - Atualizada em: 23/03/2019 - 10h52

A Águas de Joinville estuda captar recursos de terceiros, revisa custos e despesa; busca mais eficiência energética; reduz perdas de água e também revisa cronograma de execução de planos diretores de água e esgoto. As ações são para garantir o equilíbrio econômico-financeiro da companhia. Para o triênio 2019/2021 estão previstos investimentos de R$ 400 milhões - R$ 70 milhões a fundo perdido, do Orçamento Geral da União. Em 2019, serão aplicados R$ 131 milhões; para o próximo ano R$ 176 milhões e mais R$ 91 milhões para 2021. No ano passado, a companhia aplicou apenas R$ 52,4 milhões na expansão do sistema de abastecimento de água e esgoto. E lista mais de dez obras em andamento ou a serem programadas.

Painel

Udo palestrou no painel sobre a revisão dos planos diretores
Udo palestrou no painel sobre a revisão dos planos diretores
(Foto: )

O prefeito de Joinville, Udo Döhler, participou nesta sexta-feira, dia 22, em Curitiba, do evento SmartCity, realizado durante a ExpoCuritiba. No encontro, palestrou no painel sobre a revisão dos planos diretores para cidades inteligentes.

Balanço

O balanço de 2018 registra receita líquida de R$ 226,3 milhões e lucro de R$ 63,9 milhões. São valores inferiores aos R$ 239,8 milhões e R$ 104,9 milhões, respectivamente, referentes ao ano anterior. 

A cobertura de tratamento de esgoto, atualmente, é de 34,10% do município. Apenas um terço da cidade é atendida. Melhora aconteceu no índice de perdas de água, que teve queda de 5,2% em comparação com 2017. A perda de água por ligação/dia é de 541 litros. A companhia agiu para evitar o corte de fornecimento de água. Foram feitos 160 mil contatos com clientes que tiveram oportunidade de regularizar o pagamento. 

Em números

50,3%  da população do Brasil é atendida por serviço de coleta de esgoto e apenas 42% do esgoto coletado é tratado antes de ser despejado em corpo hídrico. De acordo com o Plano Nacional de Saneamento, seriam necessários R$ 503 bilhões para universalizar o acesso à água e saneamento, no país, até 2033. A água aparece entre os cinco principais riscos globais desde 2014. No Brasil, 35 milhões de pessoas não tem acesso a água tratada, 20 milhões delas em áreas rurais (IBGE - 2010). Entre 2013 a 2016 48 milhões de pessoas foram afetadas por secas e estiagens (83% vivem na região Nordeste).

No limite

A Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e o Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil), com apoio da  CVM, mede o bem-estar financeiro dos brasileiros desde 2017. Em fevereiro de 2018, o indicador apontou que 64% dos consumidores vivem no limite do orçamento. Raramente, ou nunca, têm dinheiro sobrando. Enquanto 26% conseguem, às vezes, ter uma reserva e apenas 9% afirmam que sempre ou frequentemente contam com alguma sobra. 

Selecionadas 

O programa de capacitação Startup Santa Catarina, iniciativa do Sebrae, divulgou as 50 empresas selecionadas. Oito são de Joinville. E virá, aí, o mapeamento das startups de Joinville e região. A iniciativa é da prefeitura, conselho municipal de ciência e tecnologia e inovação; Inovaparq, Joinvalle e Softville. No dia 29, os empreendedores poderão participar do evento Ágora Talks,com o investidor João Kepler.

Deixe seu comentário:

Cláudio Loetz

Loetz

Loetz

Claudio Loetz é um dos mais renomados colunistas de economia do Sul do Brasil. Com textos analíticos e informativos, é a principal fonte de informação para os interessados em negócios em Joinville e região.

claudio.loetz@somosnsc.com.br

publicidade

publicidade

Mais colunistas

publicidade

publicidade