nsc
nsc

Malwee lança plataforma para avançar nos negócios digitais

Compartilhe

Loetz
Por Loetz
10/06/2020 - 14h55
Guilherme Weege, CEO do grupo Malwee, de Jaraguá do Sul
Guilherme Weege, CEO do grupo Malwee, de Jaraguá do Sul

O grupo Malwee, com sede em Jaraguá do Sul, anuncia o lançamento de uma solução digital que cria, em um prazo máximo de até uma hora, uma loja virtual completa para a sua rede de mais de 25 mil clientes lojistas em todo o país. Intitulada “[a sua].loja Malwee”, a solução foi criada em parceria com a startup Kaztor Tecnologia, o Sebrae e o Senai, e está conectada com outras plataformas digitais como Google Meu Negócio e redes sociais.

Isso permite ao lojista fazer todo o gerenciamento da sua loja online como controle de preços e descontos, gestão de estoque e grade de produtos, cronogramas de lançamento e promoções, além da gestão de clientes e do seu marketing digital.

A plataforma já está disponível gratuitamente, pelos primeiros três meses de uso, para todas as franquias e lojas fidelizadas do grupo Malwee. A partir da segunda quinzena de junho, todos os clientes multimarca do país poderão acessar [a sua].loja Malwee. Já está no ar um hotsite para receber as inscrições dos clientes lojistas da companhia.

De acordo com o CEO Guilherme Weege, diante do cenário complexo e adverso derivado do Coronavírus,, a empresa está focada em apoiar a reinvenção de negócios dos parceiros, ao mesmo tempo em que avança a digitalização do modelo de negócio da companhia. 

- O digital é uma poderosa alavanca de geração de valor econômico e social, afirma Weege.

A forma como a plataforma foi desenhada permite aos clientes multimarcas vender até mesmo peças de concorrente das marcas da companhia - iniciativa que não encontra paralelo no setor do varejo de moda brasileiro:

 - [a sua].loja Malwee foi criada para causar uma disrupção na forma como nossos clientes vendem e se relacionam com os consumidores deles e, na perspectiva do consumidor, proporciona uma jornada de compra mais rica”, observa Weege.

O processo de implementação é feito por etapas didáticas, por meio das quais o lojista consegue ter o próprio e-commerce instalado e integrado às redes sociais em poucos passos.

Após a jornada de criação, começa a fase de contato e divulgação da loja e produtos junto ao consumidor, que pode acessar diretamente o site para a sua experiência de compra, ou receber o tablóide virtual por Whatsapp.

Neste caso, a venda é toda feita pelo aplicativo de mensagens, desde a escolha das peças, negociação da forma de pagamento, até o alinhamento sobre a entrega. As redes sociais são ferramentas indispensáveis para alavancar as vendas.

Além da plataforma [a sua].loja Malwee, o grupo Malwee anuncia, também, o lançamento da solução intitulada “VOA -- Venda Online Assistida”, plataforma de videoconferência, criada a partir dos conceitos da economia low touch, que tem como objetivo realizar venda online para os clientes lojistas por meio do atendimento virtual de representantes comerciais.

- A era pós-Covid-19 será marcada por uma economia digital e com baixa interação social do ponto de vista físico - argumenta o CEO da Malwee.

Cláudio Loetz

Colunista

Loetz

Claudio Loetz é um dos mais renomados colunistas de economia do Sul do Brasil. Com textos analíticos e informativos, é a principal fonte de informação para os interessados em negócios em Joinville e região.

siga Loetz

Cláudio Loetz

Colunista

Loetz

Claudio Loetz é um dos mais renomados colunistas de economia do Sul do Brasil. Com textos analíticos e informativos, é a principal fonte de informação para os interessados em negócios em Joinville e região.

siga Loetz

Mais colunistas

    Mais colunistas