nsc
    nsc

    O sossego está de volta

    Fim das férias escolares, alívio dos pais

    Compartilhe

    Marcos
    Por Marcos Piangers
    15/02/2020 - 08h00 - Atualizada em: 15/02/2020 - 16h19
    Foto: Pexels, banco de dados

    Eu tenho um amigo que diz que ama o filho acima de todas as coisas, com o amor mais sincero e puro do mundo, um amor inexplicável maior do que a vida e a morte. “Mas só até as 11 da noite. Depois das 11 da noite meu cansaço sobrepõe o amor. Amo meus filhos até as 11 da noite em ponto!”, ele diz. Alguém me disse esses dias, existem apenas dois tipos de pais: os ausentes e os exaustos. Só uma família com filhos e sem babá sabe o que são as férias escolares – período de descanso para professores, esgotamento para os pais.

    Alguém me disse esses dias, existem apenas dois tipos de pais: os ausentes e os exaustos.

    Não vejo problema em deixar claro que, apesar de amarmos nossos filhos, eles nos cansam. Eles têm mais energia, mais curiosidade, mais necessidade de ajuda, mais “pai, mãe, não encontro minha meia! Pai, mãe, pai, mãe, pai, mãe” e assim ad infinitum até que um dos pais vá até a criança para mostrar que a meia estava na mão dela, ou às vezes até no pé. Nosso amor pelos pequenos é infinito, mas não nossa disposição.

    Durante as férias, pais sem creche contam com avós, vizinhos, amigos, babás, colônias de férias. A mudança de rotina traz caos e confusão, as noites são mal dormidas e alguns casamentos se abalam.

    Amamos nossos filhos mais do que tudo, mas amamos também a escola no primeiro dia de aula após as férias. Aquele primeiro dia de aula em que as crianças estão entusiasmadas, os pais aliviados, as professoras se perguntando onde estavam com a cabeça quando escolheram aquela profissão. Em câmera lenta, vemos pais se despedindo dos pequenos na frente da escola, crianças correndo descontroladamente pelo pátio, professores com olhos esbugalhados e gritando: “Não corram! Cuidado! Vocês vão se machucar!”. Amamos nossos filhos, mais do que tudo nesse mundo – porém, se vão se machucar ou não correndo na escola não será nosso problema. Por hoje, não.

    Nosso amor pelos pequenos é infinito, mas não nossa disposição.

    Vejo pais abrindo o sorriso voltando para os carros, dirigindo para os escritórios. A volta do ano letivo é o início das férias dos pais. Quando a vida respeita o relógio cotidiano podem dizer que é enfadonha ou chata, mas um pai irá respirar aliviado. Significa que nossa rotina será restaurada, horário de dormir e acordar, de banho e tarefa, de leitura e ir pra escola. As férias escolares acabaram. O sossego está de volta ao lar.

    Leia outras colunas do Piangers.

    Deixe seu comentário:

    Últimas do colunista

    Loading...

    Mais colunistas

      Mais colunistas