nsc

publicidade

Mário

AVÔA, PASSARINHA, AVÔA LUZ!

Nossa homenagem à Dona Senhorinha, dos Ingleses

Compartilhe

Por Mário Motta
21/08/2019 - 06h50
Nossa singela homenagem.
Senhorinha Luiza de Campos. Foto: Arquivo Pessoal

"Ela recebia a gente com os olhinhos apertadinhos, meio velados pelo tempo, mas com o sorriso d'alma estampado no rosto. Rugas esculpidas com labor de artesã; pura sabedoria. Das rezas e das benzeduras, sabia tudo e um pouco mais. Dos cheiros e sabores, então, não sobrava para ninguém. (Ah! se aquele pequeno fogão à lenha falasse...). Dona Senhorinha é do tempo em que o bairro/balneário dos Ingleses era uma praia isolada, selvagem e repleta de histórias e lendas. Daquelas pesquisadas e garimpadas por Cascaes. Mas o tempo é mesmo assim, amável e áspero; amoroso e cruel. E a Dona Senhorinha fechou para sempre os seus olhinhos de pura esperança. Corpinho frágil. Alma e espírito de guerreira. Iluminou. Hora de alçar novos voos. Não há limites para a nossa gratidão e dádiva de tê-la conhecido e ouvido um pouquinho dos seus sábios pensares. Mande notícias dos novos mundos de lá, querida vozinha...canta, canta...

Avôa, passarinha, Avôa.... Luz"!

Nossa homenagem, pelas palavras de meu irmão, o jornalista Gilberto Motta, à senhorinha Luiza de Campos, nativa e moradora histórica de Ingleses, sepultada na manhã de segunda-feira, aos 104 anos, no Cemitério Municipal de Ingleses.

Deixe seu comentário:

publicidade