nsc
    nsc

    Decisão

    Opinião: professores votam com sensatez contra greve na UFSC

    Compartilhe

    Por Moacir Pereira
    19/09/2019 - 17h37 - Atualizada em: 19/09/2019 - 17h38
    (Foto: Gabriel Lain / Diário Catarinense)

    A decisão dos professores filiados a Associação dos Professores da UFSC de votarem contra greve na Universidade, com 66% dos docentes recusando a paralisação, é ato de sensatez que prestigia a instituição e protege os estudantes que querem e merecem estudar.

    A greve estudantil, afinal, não contribui em nada para amenizar os graves problemas do desequilíbrio fiscal ou da falta de orçamento do MEC e da UFSC. Além disso, a greve estudantil está marcada pelo interesse ideológico e partidário, como ficou evidenciado na audiência pública na Assembleia Legislativa e o convite ao líder do PSOL, Guilherme Boulos, para fazer proselitismo político no campus da Universidade.

    Os professores demonstraram maturidade política e evitaram consequências mais graves para o ensino superior em Santa Catarina.

    Deliberação acertada, porque o vice-presidente Hamilton Mourão e o ministro Paulo Guedes garantiram que haveria desbloqueio ainda em setembro.

    E nesta quinta-feira (19), o ministro da Educação, Abraham Weintraub, anunciou ao senador Dário Berger que até segunda-feira via liberar um bilhão e 900 milhões de reais para as universidades.

    Últimas do colunista

    Loading...

    Mais colunistas

      Mais colunistas