nsc

publicidade

Moacir

Alerta

Peste suína de alto grau de contágio no Ceará preocupa SC 

Compartilhe

Por Moacir Pereira
20/08/2019 - 03h45
(Foto: Jefferson Botega / Agência RBS)

A constatação de um foco de peste suína clássica no Ceará constitui, neste momento, a maior preocupação do Secretário da Agricultura, Ricardo de Gouvêa. A doença é a que atingiu drasticamente parte do rebanho suíno na China, provocando aumento da importação da carne produzida em Santa Catarina. 

O Ministério da Agricultura já vem executando medidas rigorosas de controle dos aeroportos, em esforço para manter blindada a incidência da doença na região Nordeste. 

De acordo com o secretário, há alerta também aqui no Estado, pois a transmissão se dá na roupa e até no sapato, portanto, com alto grau de contágio. 

Santa Catarina é o maior exportador de carne suína do país. Entre janeiro e julho deste ano vendeu mais de 236 mil toneladas do produto ao exterior. Isto representa 58% das exportações brasileiras no setor. 

Ricardo de Gouvêa manifestou-se esperançoso com a reunião desta quinta-feira entre o setor agrícola e a Comissão de Agricultura com o governador Moisés da Silva. 

Já conversou com o governador sobre a questão dos defensivos, da competitividade, da isonomia tributária no Sul do Brasil e de necessidade de manter os incentivos aos agricultores. 

Falando nisso

Defensivos 

Do presidente da Federação das Cooperativas Agrícolas de Santa Catarina (Fecoagro), Cláudio Post: “O Governador Carlos Moisés está equivocado na análise dos riscos dos defensivos agrícolas. Já está provado que os insumos são necessários, foram testados e não oferecem risco a população. Os defensivos são resultados de pesquisas onerosas, desenvolvidos para atacar apenas as doenças e os insetos. Se fossem prejudiciais ao ser humano, não teriam sido aprovados pelo Ministério da Agricultura, Anvisa e o Ibama.” 

publicidade