nsc

publicidade

Moacir

Sobre a invasão

Reitor da UFSC lança carta aberta à Universidade da Fronteira Sul

Compartilhe

Por Moacir Pereira
11/09/2019 - 14h57
Ubaldo Balthazar, reitor da UFSC (Foto: Tiago Ghizoni / Diário Catarinense, BD)

Ausente do Brasil, em viagem particular, o reitor da UFSC, Ubaldo Balthazar, lançou uma Carta Aberta a Universidade Federal da Fronteira Sul, posicionando-se sobre a invasão dos estudantes na Reitoria de Chapecó. Veja a íntegra:

“Carta Aberta à comunidade da Universidade Federal da Fronteira Sul

O processo de escolha dos dirigentes máximos das IFEsocorre – apenas para ficar no exemplo da UFSC – desde o início dos anos de 1980. Foram, portanto, dez consultas, em que a comunidade escolheu, o Conselho Universitário referendou e os Ministros da Educação confirmaram o nome do Reitor ou Reitora mais votado e liderando a lista tríplice.

Mais do que representar um gesto de respeito à vontade legítima de uma comunidade, as decisões dos Ministros,ao longo destes mais de 40 anos, tiveram como resultado a preservação de um ambiente institucional harmônico, equilibrado e consensual. E, por que não dizer, legal.

O que temos visto nas recentes nomeações de Reitores e Reitoras passa ao largo do que presenciamos ao longo deste período histórico recente. E aqui não se contesta a defesa de que a nomeação de um dentre os três das listas revista-se de legalidade. Não, não é ilegal escolher e nomear o segundo ou terceiro indicados. Todavia, é perigoso.

Diante da tensão que recentes nomeações têm provocado, fica evidente que o ato administrativo perfeitamente jurídico implica em um gesto de desestabilização do ambiente universitário.

Se há uma lei que preconiza a consulta que, em decorrência, gera uma lista tríplice, é por que construímos a prática da eleição dos Reitores. É um exercício democrático, validado pela escolha formal na instância máxima deliberativa, que é o Conselho Universitário. E o que nos parece mais relevante no atual momento: o Reitor ou a Reitora de uma Universidade Federal não é o representante do Governo na instituição. Ele é o representante da comunidade universitária perante o Governo Federal e todas as suas estruturas.

No caso em particular da nossa coirmã UFFS, não se discute a legalidade, tampouco se contesta a formação do Reitor nomeado, mas é fundamental que se respeite a decisão da Universidade, sem inverter os papéis entre uma Autarquia, com autonomia garantida pela Constituição Federal, e o Governo. Não se trata, muito menos, de apoiar estratégias ou formas de protesto e manifestação, mas de reconhecer a justa indignação política da comunidade universitária.

Finalmente entendemos que as reações daquela comunidade de docentes, técnicos e estudantes são diretamente proporcionais à ação a que a Universidade foi sujeita. O que a comunidade da UFFS requer é ser representada por quem ela julga ser seu legítimo representante, e não por quem o MEC julga como tal.

Florianópolis, 4 de setembro de 2019.

Ubaldo Cesar Balthazar

Reitor da UFSC.”

Moacir Pereira

Moacir Pereira

Moacir Pereira

Principal nome do jornalismo político catarinense, é respeitado pela classe assim como nos campos empresarial e jurídico. A exclusividade de suas notícias se reflete na sua credibilidade.

moacir.pereira@somosnsc.com.br

publicidade

publicidade

Mais colunistas

publicidade

publicidade