nsc
    nsc

    Política

    Renan Calheiros nunca mais

    Compartilhe

    Por Moacir Pereira
    15/01/2019 - 04h00
    Renan Calheiros
    (Foto: )

    A hipótese de vitória de Renan Calheiros (MDB-AL) na eleição do novo presidente do Senado está transformada na principal assombração política neste início de ano. Possibilidade que ficou mais próxima com a confirmação da votação secreta na escolha do novo presidente.

    Mobilizações populares estão sendo anunciadas, como a que vai acontecer em Curitiba e as que estão anunciadas para outras cidades.

    A maior manifestação, contudo, já ocorre nas redes socais, ferramenta vital na eleição de Jair Bolsonaro e na formação de uma nova consciência política nacional.

    Circulam intensamente cartazes, charges e faixas para todos os gostos: “Acorda, Brasil. Não elegemos Bolsonaro para ter um corruPTo no Senado.

    Dar poder a Renan é dar poder ao PT”. Com a foto de Renan: “Se eu for eleito vou melar o governo Bolsonaro fazendo oposição”. “Renan é a velha politica do mal”. “Voto secreto: na urna, protege o eleitor, mas no Congresso protege politico bandido”. “Um réu quer calar a Justiça no Brasil. Não permitiremos”. Foto de Renan abraçando Lula: “Corruptos, nunca mais. #forarenan”.

    Pergunta que não quer calar: depois do que ocorreu nas eleições é possível admitir que um corrupto confesso seja eleito presidente do Senado? O Brasil de hoje pode conviver com um senador que responde a 18 inquéritos, renunciou à presidência do Senado por corrupção, e passaria a ocupar a terceira posição na linha da sucessão presidencial?

    Renan Calheiros não tem currículo, mas prontuário policial. Só no STF são 13 denúncias por corrupção da Procuradoria da República. Defende e apoia notórios corruptos e quis acabar com a Lava-Jato. Contra tudo e contra todos, diz que Lula é preso político.

    Sua eleição será uma bofetada na cidadania brasileira.

    Últimas do colunista

    Loading...

    Mais colunistas

      Mais colunistas