Ao justificar seu voto, do senador Dário Berger (MDB) e dos sete deputados federais de Santa Catarina, que derrubaram o veto do presidente Jair Bolsonaro ao projeto do Benefício de Prestação Continuada (BPC), o senador Esperidião Amin (PP) destacou a importância social da iniciativa.

Continua depois da publicidade

O projeto, argumenta, garante uma pensão especial as famílias de baixa renda que tenham algum excepcional. E a repercussão financeira, segundo Amin, se dará somente no orçamento da União de 2021.

Outro ponto enfatizado pelo ex-governador: “O pagamento de uma pensão especial aos excepcionais foi estabelecido em lei aqui em Santa Catarina de forma pioneira no Brasil pelo governador Henrique Córdova em 1982. Coube-me, como governador, iniciar o pagamento destes benefícios com a regulamentação em 1983”.

Amin disse aguardar posição do governo Bolsonaro para ver qual a alternativa do Planalto com a derrubada do veto presidencial.

Continua depois da publicidade

Destaques do NSC Total