nsc
    nsc

    DESAPROVAÇÃO 

    Sinergia contesta a fusão da Eletrosul com a CGTEE

    Compartilhe

    Por Moacir Pereira
    03/01/2020 - 17h20

    O Sindicato dos Trabalhadores na Indústria de Energia Elétrica de Florianópolis – Sinergia – emitiu nota protestando contra as assembleias gerais que resultaram na fusão da Eletrosul com a CGTEE e a criação da CGT/ELETROSUL. Como acionista majoritário o Sinergia deu voto contrário as decisões e condena a inexistência da dados sobre o processo que classifica de “incorporação da Eletrosul pela CGTEE”.

    O texto integral da desaprovação é o seguinte:

    “ Sindicato dos Trabalhadores na Indústria de Energia Elétrica de Florianópolis e Região, representante de todos os trabalhadores da Eletrosul de sua base territorial, e integrante da INTERSUL – Intersindical dos Eletricitários do Sul do Brasil, que representa todos os trabalhadores da Eletrosul, na condição de acionista minoritário da Eletrosul, apresenta voto contrário aos três pontos da ordem do dia desta 159ª Assembleia Geral Extraordinária.

    Assim sendo:

    1. Desaprova o Protocolo de Incorporação e Instrumento de Justificação de Incorporação da Eletrosul pela CGTEE;

    2. Desaprova a Incorporação da Eletrosul pela CGTEE;

    3. Desautoriza os administradores praticarem quais quaisquer atos que conduzam à incorporação.

    Os votos contrários têm como justificativa:

    A. A sonegação de informações aos acionistas por parte da Holding Eletrobras e Eletrosul, não apresentando, nem mesmo quando instada em juízo, dados e estudos completos e detalhados que embasaram a decisão e que demonstrem cabalmente as vantagens do processo para a Eletrosul, para a sociedade em geral, para seus trabalhadores e seus acionistas;

    B. O não tratamento e não detalhamento adequado quanto aos riscos tributários e fiscais inerentes ao processo de “incorporação às avessas”, vista a possibilidade de caracterização de simulação quando da tentativa de recuperação dos créditos tributários que a CGTEE detém junto a Receita Federal;

    C. As perdas de direitos e garantias para os trabalhadores da Eletrosul, notadamente quanto ao seu plano de saúde autogerido, que será extinto após a incorporação, além de ameaça de de-missões futuras e rebaixamento de benefícios;

    D. Por entender que a incorporação da Eletrosul pela CGTEE é passo gerencial realizado pelos atuais administradores da Holding Eletrobras, com o intuito de facilitar o processo de privatização do Sistema Eletrobras.

    Sendo este o voto, o Sinergia solicita que ele seja registrado em sua íntegra nas atas desta 159ª Assembleia Geral Extraordinária.

    Florianópolis, 02 de janeiro de 2020.

    Eduardo Clasen Back -Coordenador Geral do Sinergia. ”

    Últimas do colunista

    Loading...

    Mais colunistas

      Mais colunistas