nsc
nsc

publicidade

Política em luto

Tebaldi: tolerância e diálogo 

Compartilhe

Moacir
Por Moacir Pereira
14/10/2019 - 20h12 - Atualizada em: 14/10/2019 - 20h51
(Foto: Lúcio Bernardo Junior / Câmara dos Deputados)

Histórico do PSDB e seu ex-presidente, Dalírio Beber, definiu o falecido presidente estadual Marco Tebaldi com “um idealista, um político vocacionado pela social democracia”. Outro tucano histórico e antecessor de Tebaldi no comando do PSDB, deputado Marcos Vieira, destacou, entre as qualidades do correligionário, o fato de “ser um homem de diálogo, um político com a marca da tolerância, além de um exemplar administrador”. 

O engenheiro sanitarista que nasceu em solo gaúcho, formou-se pela UFSC e fez carreira em Joinville, com atuação profissional na região de mangue, regularizando habitações irregulares de famílias humildes, teve participação efetiva na vida pública catarinense nos últimos 30 anos. 

Suas impressões digitais estão lá na grande virada do governo estadual em 2002, quando da inesperada vitória de Luiz Henrique da Silveira (PMDB) sobre o franco favorito Esperidião Amin (PP). 

Quatro líderes tucanos foram decisivos naquela mudança: Dalírio Beber, Marcos Vieira, Marco Tebaldi e Jacó Anderle. Um tripé partidário, montado em 1999, foi o começo de tudo: Tebaldi assumiu a presidência do PSDB em Joinville, Dalírio em Blumenau e Marcos Vieira na Capital. No ano seguinte, o tucanato estadual formalizou a aliança com o MDB, quando Tebaldi se tornou vice na chapa de Luiz Henrique. Sem estes dois movimentos, a história catarinense teria sido outra. 

Marco Tebaldi revelou-se um político tolerante quando assumiu a Secretaria da Educação no governo Colombo e enfrentou a maior greve de professores da história catarinense. Sem autonomia financeira e política para negociar com o magistério, acabou sofrendo profundo desgaste. Mas nunca teve qualquer ato de represália contra os grevistas e, ao contrário, mesmo no auge da crise, recebia os líderes para negociações. 

Triste coincidência: Marco Tebaldi foi sepultado no dia em que receberia o título de cidadão honorário da Câmara Municipal de Joinville.

Ainda não é assinante? Assine e tenha acesso ilimitado ao NSC Total, leia as edições digitais dos jornais e aproveite os descontos do Clube NSC.

publicidade

publicidade

publicidade

publicidade