A pandemia de coronavírus aumentou o consumo de jogos digitais entre os brasileiros. Segundo a 8ª Pesquisa Game Brasil, cerca de 75,8% dos jogadores afirmam ter jogado mais durante o período de isolamento social. O indicador demonstra a presença do país em um mercado mundial que pode faturar até US$ 175,8 bilhões em 2021, de acordo com Newzoo.

Continua depois da publicidade

Os jogos eletrônicos conquistam adeptos desde as Olimpíadas Intergalácticas de Spacewar, na Califórnia, em 1970. Entusiasmo continuado em 1980 com o campeonato Space Invaders Championship e Nintendo World Championships em 1990. Em 2010, os eventos foram difundidos pelo mundo e baterem a marca histórica de 160 realizações.

Os e-sports – ou esportes eletrônicos – reúnem jogadores ou equipes profissionais em partidas online. Esses campeonatos chegam a render um prêmio milionário ao vencedor, além de reconhecimento entre os membros e aparições na stream ou canais de TV.

As transmissões impactam milhares de telespectadores pela internet e TV por assinatura. O Campeonato Brasileiro de League of Legends (CBLOL), bateu recorde de audiência em 2019 ao somar 316 mil visualizações simultâneas nas plataformas Twitch e Youtube. Segundo estimativas, o Brasil ocupa o 3º lugar no ranking das maiores torcidas de e-sports, perdendo apenas para China e Estados Unidos.

Um estudo organizado pelo site Esports Earnings aponta que mais de US$ 450 milhões já foram distribuídos pelos 4 principais games. O Defense of the Ancients está em primeiro lugar ao repassar cerca de US$ 225 milhões em 1.400 torneios. Veja lista:

Continua depois da publicidade

1º Lugar: Defense of the Ancients, US$ 225 milhões em 1.400 torneios.

2º Lugar: Counter-Strike: Global Offensive, US$ 99 milhões em cerca de 5.000 campeonatos.

3º Lugar: Fortnite, US$ 90 milhões em apenas 564 torneios.

4º Lugar: LOL, US$ 76 milhões em mais de 2.400 competições.

Por outro lado, os praticantes também passaram a investir mais em jogos. Transações financeiras em plataformas de jogos digitais cresceram 140% em 2020 se comparado ao ano de 2019. O dado é apresentado pela bandeira de cartões Visa. O investimento médio dos jogadores está em torno de R$ 51. Segundo projeções da Newzoo, o mercado internacional de games pode arrecadar até 2023 cerca de US$ 204,8 bilhões.

No Brasil, o estado de Santa Catarina tem a fatia de 5,6% das empresas desenvolvedoras localizadas em seu território, sendo 17 formalizadas e quatro não formalizadas. Assim também, cerca de 4,7% dos profissionais autônomos do setor residem em SC. Os dados são do segundo censo da Indústria Brasileira de Jogos Digitais (2018).

Um exemplo é a startup Duality que conecta jogadores de games e forma equipes para campeonatos. Na plataforma digital é possível criar um perfil exclusivo de e-sports, recrutar integrantes e encontrar profissionais para suporte técnico. Além disso, existe a opção para a criação de torneios de Counter-Strike: Global Offensive.

Com um atrativo milionário por trás de cada competição, equipes profissionais buscam qualificar jogadores para uma carreira de sucesso, os assessorando com suporte de analistas, managers e coachs. Os integrantes praticam os jogos cotidianamente e acompanham um calendário criado a partir do desempenho individual, procurando aumentar a performasse e diminuir os erros.

Continua depois da publicidade

O aumento de empresas em SC pode estar relacionado com a profissionalização de estudantes da rede pública. O projeto Novos Talentos – SC Game, amplia o conhecimento por meio de cursos gratuitos de arte, programação, robótica, animação, entre outros, na faixa etária de 9 a 17 anos. Gerenciado pela Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico Sustentável (SDE), a iniciativa já formou mais de 1.700 alunos.

Além disso, a Vertical Economia Criativa, programa da Associação Catarinense de Tecnologia (Acate), também promove um trabalho com 9 empresas do setor de tecnologia para ampliação do ambiente de negócios no Brasil e no Mundo e pretende unir desenvolveres e novas ideias na área de games, entretenimento, turismo e culinária.

Apesar da participação financeira expressiva do setor na economia brasileira, os esportes eletrônicos ainda não são regulamentados no Brasil. O projeto de lei 383/2017 aguarda aprovação no Senado.

Live no Instagram:

O perfil do Globo Esporte SC promove amanhã, 1 de julho, às 19h30, um bate-papo sobre stream e games. Duda Barros recebe os youtubers Otávio Sampaio e Natasha Panda para uma conversa alto astral sobre o universo dos jogos online.

Continua depois da publicidade

Igor Santos para o NSC Lab.

Destaques do NSC Total