nsc
nsc

UM ROSTO

O morador do Garcia que criou um reino fictício para descontrair e ajudar

Compartilhe

Pancho
Por Pancho
29/12/2019 - 18h40 - Atualizada em: 29/12/2019 - 18h48

Tiago Junkes
Tiago Junkes
(Foto: )

Tiago Junkes completou 33 anos neste mês. Ele nasceu em Blumenau vive, desde sempre, no bairro Garcia. É o mais novo de dois irmãos. O pai trabalha há 45 anos na Coteminas/Artex. A mãe já foi diarista e hoje trabalha na mesma empresa do marido.

Quando criança ele estudou na Escola de Educação Básica Santos Dumont, na Rua Amazonas. O Ensino Médio ele cursou no Cedup Hermann Hering. Lá ele se formou técnico em Desenvolvimento de Software. Na Uniasselvi ele fez o curso de Logística a distância.

Teve uma infância tranquila, brincando na rua, jogando bola, brincando de esconder e colecionando figurinhas. Também se lembra com carinho das viagens de Fusca para Antônio Carlos, onde vivem os avós.

Na adolescência ele ganhou o primeiro computador, artigo de luxo para a família naquela época. Os pais sempre fizeram o possível para manter o filho estudando. No mesmo período ele também aprendeu a tocar acordeon, hábito que retomou recentemente.

Trabalho

O primeiro emprego foi na Coteminas. Trabalhou na Distribuição no primeiro turno. Como estudava à noite e tinha que acordar às 4h para o ir ao trabalho, não durou muito. Depois conseguiu um trabalho de office boy na Contabilidade Pontual e mais tarde, no mesmo ofício, foi para a loja General Lyy, onde ficou por quase 13 anos. Saiu quando era responsável pelo comércio eletrônico.

Nessa época ele também começou a ajudar a noiva na criação de uma loja eletrônica para os produtos de beleza que ela vende. Hoje ela tem também um salão de manicure. A noiva ele conheceu em um bate-papo do mIRC. O namoro começou há 15 anos em um baile na Associação da Artex animado pela banda Chiquito e Bordoneio. Tiago também frequentava os bailes do Caça e Tiro Jordão e as baladas da Sociedade Subtenentes e Sargentos.

Reino do Garcia

Apesar de toda essa história, Tiago hoje é mais conhecido como criador do Sargento Junkes e do Reino do Garcia, personagem e nação que ele criou no mundo imaginário do humor e da internet. No Facebook e Instagram eles ganharam páginas e milhares de seguidores.

Tiago se inspirou num áudio que circulou na época dos protestos de 2013 em que um sargento do Amazonas dizia que haveria guerra civil no Brasil com invasão de soldados da Bolívia. Ele não entendia como as pessoas acreditavam e repassavam a “notícia falsa” e gravou um áudio-paródia em tom de deboche. Se apresentou como Sargento Junkes, do Garcia, dizendo que se alguém invadisse o Brasil eles fariam um muro para se defender, criando um estado independente. Por alguns anos a brincadeira seguiu pelo WhatsApp para depois ganhar também as redes sociais.

Tudo aconteceu naturalmente. Se fosse para planejar, Junkes diz que faria de forma anônima. Muita gente acha que tudo não passa de campanha política e que nas próximas eleições ele será candidato. Tiago garante que não pensa nisso. Quer continuar entretendo e ajudando a comunidade com o personagem que criou.

Solidariedade

Recentemente ele se envolveu fortemente com a campanha para ajudar a pequena Antonella, de quase dois anos, a conseguir o remédio que pode ajudá-la no tratamento contra a atrofia muscular espinhal (AME). Tanto que deixou o humor um pouco de lado, mas promete retomá-lo no próximo ano, quando a menina deve ir para os Estados Unidos para receber o medicamento e tratar a doença.

Para o futuro, Tiago quer ter filhos e ajudar mais os pais. Mas deixa claro que se ele viver o resto da vida como vive hoje será feliz.

Deixe seu comentário:

Pancho

Colunista

Pancho

O noticiário de Blumenau e região enriquecido com opinião. Política, segurança pública e as polêmicas da região, além da análise, dicas e curiosidades do cotidiano.

siga Pancho

Últimas do colunista

Loading interface...
Pancho

Colunista

Pancho

O noticiário de Blumenau e região enriquecido com opinião. Política, segurança pública e as polêmicas da região, além da análise, dicas e curiosidades do cotidiano.

siga Pancho

Mais colunistas

    Mais colunistas