O que mais vem chamando atenção dos catarinenses sobre o tempo nos últimos 20 dias é a grande sequência de nuvens e chuva em grande parte das regiões, principalmente no Litoral. Os motivos são vários. Vão desde uma escala global até questões bem pontuais de Santa Catarina. 

Continua depois da publicidade

ESCALA MAIOR

Nesta primavera até o verão, o clima deverá ser influenciado pelo fenômeno global La Niña. Para quem não lembra, ele é o resfriamento das águas do oceano pacífico na linha do Equador entre Indonésia e América do Sul. Onde nesta região há uma intensificação do vento – chamado de Alísio – nesta parte do planeta. 

Aqui em Santa Catarina quando temos La Niña nesta época do ano ainda há uma passagem mais frequente de massas de ar frio. Só que já passando mais pelo mar como a figura abaixo mostra:

Ar frio no mar normal da época do ano, especialmente em anos de La Niña
Ar frio no mar normal da época do ano, especialmente em anos de La Niña (Foto: Windy)

Como no ar frio o vento sopra no sentido horário – setas em branco – a umidade do mar avança para o Litoral de SC. Já começa ter uma influência na chuva.

TELECONEXÕES

Na atmosfera a partir da circulação geral dos ventos tudo está interligado. Muitas vezes algo que acontece longe de SC, influencia na condição do tempo aqui. Por estudos, sabemos que o que ocorre entre o Sul da Argentina e a Antártica pode facilitar ou dificultar mais o avanço das frentes frias – sistemas de chuva – e dessas massas de ar frio para SC. 

Continua depois da publicidade

Particularmente agora em outubro, o avanço dessas massas de ar frio está mais facilitado. Temos na meteorologia um índice que mostra exatamente isso. É o Índice de Oscilação Antártica. Nesta primeira quinzena de outubro ele anda negativo, ou seja, mostrando que há condiões favoráveis para o avanço do ar frio até SC pelo mar. 

ESCALA MENOR

Outra influência é o que ocorre aqui dentro de Santa Catarina. No Litoral e áreas próximas, temos as nuvens que se formam a partir da umidade que vem do mar com a proximidade dos morros da Serra Geral. As chamadas nuvens orográficas. Nuvens de chuva que se formam na presença de morros, orografia. No caso do nosso Litoral, os ventos que vem do mar – pelo ar frio – carregados de umidade encontram os morros, são obrigados a subir na atmosfera se refriando e fazendo com que a umidade em excesso seja suficiente para provocar nuvens de chuva.

No caso do Oeste e Meio Oeste, nesta época do ano é comum a formação de nuvens carregadas na região, mas principalmente entre Norte da Argentina e Sul do Paraguai. Condição de chamamos de complexo convectivo de meso escala. Nuvens de temporais.

DIVERSOS MOTIVOS

Juntando tudo isso, temos porque SC vem passando por tantos dias com instabilidade e chuva. 

Continua depois da publicidade

ALGUMA MUDANÇA PELA FRENTE?

Durante boa parte dessa segunda quinzena, o índice de Oscilação Antártica deverá ir para a sua fase positiva. Isso quer dizer que as frentes frias, as massas de ar frio e até os ciclones deverão ficar mais o Sul do continente. Não tanto em SC. Isso já deverá diminuir as condições de chuva, especialmente da Serra par ao Litoral. Tudo mais a partir do dia 19. O Litoral e as áreas próximas ainda deverão ter alguma chuva, mas já mais passgeira permitindo maiores aberturas de sol. Vamos acompanhar para ver se não muda. 

Destaques do NSC Total