No final do ano passado tivemos em Madri mais uma Conferência das Nações Unidas sobre as Mudanças Climáticas. Na COP 25 foi apresentado um estudo que mostra que o oxigênio está diminuindo em algumas áreas dos oceanos.

Continua depois da publicidade

O aquecimento do planeta está trazendo o que os cientistas chamam de poluição por nutrientes. É uma redução da concentração de oxigênio nos oceanos que está colocando em risco a existência de várias espécies marinhas. A poluição por nutrientes cria zonas mortas nos oceanos, ou seja, concentrações baixas de oxigênio que dificulta a vida de peixes.

MOTIVO

Isso ocorre quando substâncias contendo fósforo e nitrogênio – usados em fertilizantes agrícolas – são arrastados da terra pela chuva indo para os rios e chegando ao mar. Essa situação provoca o crescimento excessivo de algas. Quando elas morrem, a decomposição consome oxigênio, diminuindo sua disponibilidade na água. Alem disso, a elevação da temperatura do planeta também diminui o nível de oxigênio. Isso porque parte desse calor que deveria ir para a alta atmosfera fica por aqui e é absorvido pelos oceanos. Este estudo mostrou que na década de 1960 já tinha essas zonas mortas nos oceanos, mas elas eram estimadas em torno de 60. Hoje em dia chegam na casa de 700.

CONSEQUÊNCIAS

Olha que interessante: Mares com menos oxigênio favorecem a proliferação de águas vivas. Mas, dificultam a vida de peixes com o atum e tubarões. Nos últimos 50 anos a estimativa é que o volume de oxigênio nos oceanos tenha diminuindo em torno de 2%. Pouco? Não porque estamos falando de todos os oceanos. Tem locais em regiões de trópicos que a queda já chegou a 40%.

Aquecimento global e as mudanças climáticas são assuntos muito sérios!

Continua depois da publicidade

Já passou da hora de nos conscientizar!

Destaques do NSC Total