nsc
nsc

PRIMAVERA

Uma primavera com influência do La Niña

Compartilhe

Puchalski
Por Puchalski
28/09/2020 - 08h18 - Atualizada em: 01/10/2020 - 08h38
O mapa mostra - em azul - águas frias no Pacífico Equatorial nesta última semana
O mapa mostra - em azul - águas frias no Pacífico Equatorial nesta última semana (Foto: Cptec)

Durante o último mês as condições necessárias para a configuração do fenômeno climático La Niña começaram a ocorrer na região do oceano Pacífico na linha do Equador. Para quem não lembra, o La Niña é tanto o resfriamento das águas mais superficiais dessa região como a intensificão dos ventos nesta área. Ventos chamados de Alísios.

> Saiba como enfrentar o calor extremo e as temperaturas acima de 40°C

Quando isso ocorre, as condições climáticas mudam em diversos locais do planeta. Aqui no Sul do Brasil, em Santa Catarina, a influência é no regime de chuva que na teoria sofre uma redução dos volumes padrões do final de primavera e início do verão.

PREVISÃO DO FÓRUM CLIMÁTICO CATARINENSE

Diante dessa influência e de outros fenômenos de menor escala, a previsão para o período de Outubro a dezembro 2020 é que Santa Catarina tenha menos chuva que o padrão mensal deste trimestre. 

Essa menor quantidade de chuva deverá ocorrer especialmente no Oeste. Dentro dos três meses, novembro é o que mais deverá trazer essa redução.

TEMPERATURA

A primavera tende a ter ela dentro do que é padrão da época do ano, ou seja, as massas de ar frio do inverno começam a ser mais escassas. Isso da mais espaço para o ar quente do Centro Norte do Brasil. Condição que traz o gradativo aquecimento da época do ano. 

Porém, destaco que o fato deste ano ter previsão de redução da chuva, os dias mais secos deverão ter bem caracterizado uma condição típica da primavera: a amplitude térmica. Manhãs frias e tardes quentes!

Isso quer dizer que a tendência da primavera 2020 é que tenhamos alguns bons dias com temperaturas baixas entre noites e amanheceres, mas elevadas ao longo das tardes.

Em algumas oportunidades, inclusive em novembro, há chance de geada nas regiões de baixadas, sobretudo da Serra. 

Leandro Puchalski

Colunista

Puchalski

Leandro Puchalski é o meteorologista da NSC Comunicação. Explica como os fenômenos climáticos impactam na vida dos catarinenses.

siga Puchalski

Leandro Puchalski

Colunista

Puchalski

Leandro Puchalski é o meteorologista da NSC Comunicação. Explica como os fenômenos climáticos impactam na vida dos catarinenses.

siga Puchalski

Mais colunistas

    Mais colunistas