nsc
    nsc

    Comissionados

    Câmara de Joinville vai exonerar ex-vereador após pressão de Observatório Social

    Compartilhe

    Renato
    Por Renato Igor
    27/01/2021 - 05h28 - Atualizada em: 27/01/2021 - 13h06
    Câmara de Vereadores de Joinville
    Câmara de Vereadores de Joinville (Foto: Salmo Duarte, Arquivo AN)

    A Câmara de Vereadores de Joinville irá exonerar ainda nesta semana o ex-vereador Jaime Evaristo do cargo de assessor especial de Tecnologia da Informação (TI). Em sua página em rede social, o ex-parlamentar diz ter formação de gestão de pessoas. A informação surgiu após cobrança do Observatório Social (OSB) da cidade e de eleitores.

    A instituição havia cobrado o presidente da Câmara, Maurício Peixer, quanto aos critérios técnicos que foram utilizados para a contratação de assessores da nova legislatura. Fabiano D´Agostin, presidente do OSB de Joinville, questionou especificamente a indicação do ex-vereador Jaime Evaristo.

    “Acompanhamos uma novidade do Executivo local, que preencheu os cargos comissionados em processos seletivos e entrevistas, optando por perfis técnicos. Entendemos que, se aplicadas todas as diretrizes de uma seleção profissional, é um caminho acertado”, observa D’Agostin. “Entretanto, no Legislativo não percebemos essa mudança, pois continuou o antigo modelo de nomeação de cargos, por indicação dos vereadores, sem muito critério técnico para essa escolha”, acrescentou.

    A Câmara de Vereadores de Joinville se manifestou por nota, em que comunica a demissão do ex-parlamentar, confira:

    A Câmara de Vereadores de Joinville tem 23 cargos em comissão no setor administrativo. Deste total, sete são de diretores e dois deles precisam ser ocupados por servidores efetivos. Para os cargos de diretores, o presidente Maurício Peixer (PL) solicitou profissionais com formação em nível superior, conhecimento técnico e/ou notório saber na referida área. Para os demais cargos de livre nomeação, foi solicitado que todos tivessem nível médio.

    Já nos gabinetes dos vereadores, cada parlamentar tem direito a, no máximo, sete assessores comissionados, que precisam ter ensino médio ou superior, conforme cargos - três profissionais de ensino superior (um que atua como chefe de gabinete e dois que atuam como assessores parlamentares de apoio técnico). Os outros quatro servidores comissionados dos gabinetes ocupam o cargo de assessor parlamentar de apoio operacional, que exige nível médio completo.

    Com relação a nomeação de assessor especial na Diretoria de Tecnologia da Informação, em decisão conjunta do partido PSC, do Jaime Evaristo e da presidência da Câmara de Joinville, ficou acordada a exoneração de Evaristo. Proposta do presidente Maurício Peixer é publicar um Ato da Mesa Diretora definindo padrões técnicos mínimos e compatíveis com cada função, dando assim, maior profissionalismo às atividades da Casa Legislativa.

    >Aprovação de projeto representa economia de R$20 milhões por ano na Comcap

    Deixe seu comentário:

    Últimas do colunista

    Loading...

    Mais colunistas

      Mais colunistas