nsc

publicidade

Política

Colombo reage à CPI da Ponte Hercílio Luz:"É uma sacanagem. Esse deputado quer aparecer"

Compartilhe

Renato
Por Renato Igor
03/12/2019 - 11h26 - Atualizada em: 03/12/2019 - 14h32
Ex-governador rebate denúncia na CPI da Ponte Hercílio Luz(Foto:Diorgenes Pandini / DC)
Ex-governador rebate denúncia na CPI da Ponte Hercílio Luz(Foto:Diorgenes Pandini / DC)

O ex- governador Raimundo Colombo reagiu com indignação ao relatório apresentado nesta segunda-feira (2) pelo deputado Bruno Souza (Novo) na CPI da Ponte Hercílio Luz. Ele está na lista de 26 políticos, funcionários públicos, empresários e advogados denunciados na investigação.

No relatório, que precisa ainda ser aprovado na Comissão Parlamentar de Inquérito da Assembleia Legislativa, o ex-governador é denunciado por prevaricação e condescendência criminosa. A CPI apontou gastos desde 1980 de R$ 688.469.256,65 efetivamente comprometidos com a ponte. Em conversa com a coluna, Colombo desabafou:

É uma maldade. É uma sacanagem sem explicação. Esse deputado quer aparecer, quer manchete porque será candidato Raimundo Colombo

O ex-governador, que aceitou convite para ser ouvido durante a CPI, disse que quem assinava o aditivo era o Deinfra.

— Mas se passasse por mim eu assinaria — complementou.

O governador explica que o contrato não foi rompido imediatamente com o Consórcio Monumento pois precisava de segurança jurídica para fazê-lo:

— E não cancelei com a empresa na hora porque consultamos a Procuradoria do Estado, precisávamos de todo o procedimento jurídico. Cancelar o contrato e judicializar é justamento o que a empresa queria. Mas nós nos preparamos. Não havia planilhas. Documentamos tudo, demos prazos, notificamos os atrasos. Todas as questões tinham prazo de 90 dias, isso leva tempo. Precisávamos de tudo documentado para ter segurança jurídica. Nós ganhamos todas as ações na justiça. Isso é de uma maldade impressionante. É um procedimento criminoso. Claro que não vai passar na Comissão, acho que não passa na Alesc.

Se multar resolvesse, o Ninho do Urubu do Flamengo não tinha pego fogo, nem teria ocorrido a tragédia da barragem de Mariana. Raimundo Colombo.

Colombo acrescenta que a empresa foi excluída das obras da Penitenciária de Itajaí, da estrada do aeroporto e do aeroporto de Florianópolis.

Não é multar que resolve. É tirar a empresa que não presta para fora.

A votação do relatório final feita pelo colegiado da comissão foi marcada para o próximo dia 10, às 17h.

Deixe seu comentário:

Renato Igor

Colunista

Renato Igor

Apresentador e comentarista na CBN Diário e NSC TV, Renato Igor faz análises e traz as notícias sobre o que acontece em Santa Catarina e o que influencia os rumos do Estado.

siga Renato Igor

publicidade