nsc
nsc

Dinheiro público

O custo da equiparação entre procuradores do Estado e da Alesc

Compartilhe

Renato
Por Renato Igor
29/11/2020 - 13h21
Procuradoria-Geral do Estado
Procuradoria-Geral do Estado (Foto: Ricardo Wolffenbüttel / Secom)

A decisão do Tribunal de Justiça (TJ) na última quarta-feira (25) em tornar legal a equiparação salarial entre procuradores do Estado e da Alesc terá um impacto anual de cerca de R$ 10 milhões aos cofres públicos. Neste cálculo não entra o pagamento retroativo desde maio de 2020 até hoje, conforme decisão da justiça. Entre janeiro e agosto de 2019, 161 servidores foram beneficiados, representando um custo de R$  7.116.857,44. A contribuição previdenciária patronal do período foi de  R$ 1.384.049,14, totalizando R$ 8.500.906,58.

>Desembargadores decidem que aumento salarial dos procuradores do Estado foi legal

Um procurador do Estado no topo da carreira ganha R$ 30.471,11. Com a isonomia, ganhará mais R$ 4.991,11, chegando ao valor de  R$ 35.462,22.

"Nós estamos de alma lavada",  disse o presidente da Associação dos Procuradores do Estado de Santa Catarina, Juliano Dossena , após o Tribunal de Justiça considerar legal a equiparação salarial entre procuradores da PGE e da Alesc.

A equiparação salarial foi o epicentro do processo de impeachment do governador Carlos Moisés da Silva;

Confira a entrevista com o presidente da Associação dos Procuradores do Estado de Santa Catarina, Juliano Dossena, à Rádio CBN Diário:

>Jorge Tasca volta para a secretaria de administração de SC

Renato Igor

Colunista

Renato Igor

Apresentador e comentarista na CBN Diário e NSC TV, Renato Igor faz análises e traz as notícias sobre o que acontece em Santa Catarina e o que influencia os rumos do Estado.

siga Renato Igor

Renato Igor

Colunista

Renato Igor

Apresentador e comentarista na CBN Diário e NSC TV, Renato Igor faz análises e traz as notícias sobre o que acontece em Santa Catarina e o que influencia os rumos do Estado.

siga Renato Igor

Mais colunistas

    Mais colunistas