nsc
    nsc

    Sistema prisional

    Visita virtual para presos vai continuar em Santa Catarina após a pandemia

    Compartilhe

    Renato
    Por Renato Igor
    02/06/2020 - 07h48 - Atualizada em: 02/06/2020 - 08h29
    Visitas estão suspensas nos presídios de Santa Catarina por conta do coronavírus
    Visitas estão suspensas nos presídios de Santa Catarina por conta do coronavírus

    As visitas virtuais no sistema prisional catarinense irão continuar mesmo após terminar a pandemia do novo coronavírus. É uma experiência exitosa segundo avaliação do secretário de Administração Prisional em Santa Catarina, Leandro Lima. As visitas de familiares estão suspensas desde o dia 17 de março. No início de abril a visita virtual de familiares foi implementada. A troca de mensagens ocorrem por email, chamadas de vídeo via tablet funcional e, também, telefones funcionais. Em condições normais, antes da pandemia, o preso tinha direito a quatro visitas mensais. Agora, no enfrentamento da pandemia e com as visitas físicas suspensas, ocorrem duas visitas virtuais mensais.

    “ A troca de mensagens entre os presos e seus familiares é monitorada pelos nossos agentes. Está dando certo. É uma forma de acalmar o preso e ele saber que a situação está difícil do lado de fora e ver os seus familiares”, explicou Lima. 

    O secretário explicou que as visitas vitruais irão continuar após a pandemia, mesmo com a volta das visitas físicas dos familiares dos presos.

    Muitos familiares de presos não têm dinheiro para a passagem de ônibus. A visitas virtuais por telefone, email ou vídeo ajudam economicamente as famílias dos presos, reduzem a circulação de gente no sistema, facilitando a operação e evitam deslocamentos, gerando ainda um ganho na mobilidade urbana.

    O cumprimento da pena tem caráter punitivo. Quem está lá dentro precisa pagar pelo que fez, mas não podemos esquecer, entretanto, que quem está dentro do sistema um dia voltará ao nosso convívio. Nós podemos escolher se eles voltarão melhor ou piores. 

    Desde que começaram em março, foram mais de sete mil visitas virtuais a presos em Santa Catarina e quatro mil emails trocados entre apenados e familiares. 

    Deixe seu comentário:

    Últimas do colunista

    Loading...

    Mais colunistas

      Mais colunistas