nsc
    nsc

    Adeus

    Morre Walter Souza, o repórter que entrevistou o presidente Figueiredo na Novembrada

    Compartilhe

    Roberto
    Por Roberto Alves
    05/08/2020 - 17h08 - Atualizada em: 06/08/2020 - 11h48
    Adeus a Walter Souza
    Adeus a Walter Souza (Foto: Banco de Dados)

    Florianópolis perde uma de suas mais expressivas figuras. O dia 5 de agosto vai ficar na historia como um dia de luto para a capital catarinense. Perdemos Walter Souza, 80 anos completados. Um brilhante repórter de rádio e televisão.

    > Mário Motta: "Walter Souza partiu: o meu sentimento expressa o que quase não consigo escrever"

    Fomos vizinhos quando crianças. Crescemos juntos. Eu na Rua Uruguai e ele na José Boiteaux. Batíamos bola no tiro alemão, antiga escola industrial, na Av. Mauro Ramos. Walter Souza era um gentleman desde garoto e se tornou um profissional de alta qualidade. Começamos quase juntos no rádio. Ele, na Rádio Jornal A Verdade, depois passou pela Anita Garibaldi e chegou à Diário da Manhã e, depois, à Guarujá.

    Ele morreu por volta das 15h desta quarta-feira (5), em uma casa de repouso em Canasvieiras, de câncer.

    Carreira

    Walter Souza foi locutor comercial, apresentador de programas e repórter esportivo. Criou algumas marcas em suas atuações. Dia de clássico, ele se apresentava com uma camisa especial: deu um lado azul, e do outro preto. Nunca negou nos bastidores que era torcedor do Avaí.

    Na TV

    Na TV Cultura década de 70 tivemos ele como repórter mas com uma atuação passageira. Foi na RBS em 1979 que ele se consagrou em televisão.

    Destacou-se na cobertura da Novembrada, em 1979, quando o então presidente João Batista Figueiredo desceu do Palácio do Governo e foi a pé da Praça XV até o Senadinho, em meio a forte vaia do povo. O único que conseguiu chegar e ouvi-lo foi Walter Souza.

    João Figueiredo e Walter Souza
    João Figueiredo e Walter Souza
    (Foto: )

    Rei do trocadilho

    Há muito tempo aposentado do governo do Estado, teve destacada atuação na Assembléia Legislativa como mestre de cerimônias. 

    Recebeu todos os prêmios do rádio e da televisão.

    Era conhecido também por uma especialidade curiosa que revelava sempre o seu bom espírito: o trocadilho. Ele não perdia a oportunidade.

    Ao me encontrar o fazia desta forma: “Você é Alves da minha admiração”.

    Ouça a homenagem de Roberto Alves e Mário Motta no Jornal da CBN:

     Walter Souza estava internado numa casa de repouso em Canasvieiras desde janeiro, quando bateu com seu carro quando dirigia e ficou tonto.

    Curiosamente ou propositalmente esta casa geriátrica fica bem em frente a uma residência que Walter possui em Canasvieiras e onde reside hoje o seu filho Vinicius.

    Em 26 de dezembro de 2018, ele participou do Debate Diario na CBN com os colegas Fenelon Damiani e Emilio Cerri.

    > Debate Diário relembra histórias de Florianópolis com Walter Souza, Emílio Cerri e Fenelon Damiani

    Deixe seu comentário:

    Últimas do colunista

    Loading...

    Mais colunistas

      Mais colunistas