nsc
nsc

Articulações

Moisés e Daniela travam a batalha do impeachment; Marcos Vieira diz que manterá o voto contrário

Compartilhe

Upiara
Por Upiara Boschi
30/03/2021 - 05h00
Na véspera do afastamento, Moisés recebeu o abraço do deputado estadual Marcos Vieira
Na véspera do afastamento, Moisés recebeu o abraço do deputado estadual Marcos Vieira (Foto: Divulgação)

Começa nesta terça-feira uma disputa de bastidores e articulações que vai definir o comando do governo de Santa Catarina. Vice-governadora eleita, Daniela Reinehr (sem partido) assume interinamente por até 120 dias o cargo do governador Carlos Moisés (PSL), que será afastado para responder pela segunda vez a um processo de impeachment. O retorno será um teste de força e habilidade política entre o titular e a interina que deve ganhar corpo nas próximas semanas.

Upiara Boschi: Julgamento do impeachment dá a Daniela a segunda chance que Moisés desperdiçou

Mais do que jurídica, a definição é matemática. Composto por cinco deputados estaduais e cinco desembargadores, o Tribunal do Impeachment abriu o processo de cassação por crime de responsabilidade e afastou Moisés do Centro Administrativo por seis votos a quatro. Para a cassação, são necessários sete votos. Assim, Moisés vai lutar para manter o apoio dos quatro parlamentares que votaram a seu favor - Fabiano da Luz (PT), José Milton Scheffer (Progressistas), Marcos Vieira (PSDB) e Valdir Cobalchini (MDB) - enquanto Daniela precisa convencer pelo menos um deles a mudar o voto.

Renato Igor: Impeachment em SC: é preciso saber se Daniela Reinehr mudou

É um duelo entre a composição política que Moisés fez com os principais tradicionais na Assembleia Legislativa após o arquivamento do primeiro processo de impeachment, em novembro do ano passado, e o peso da caneta nas mãos da governadora interina. Em seu último dia antes do afastamento, Moisés deu uma demonstração de força com uma agenda cheia e a presença de 20 dos 40 deputados estaduais na Casa d'Agronômica, como registrou o colega Anderson Silva. Entre os presentes, os quatro deputados julgadores que votaram contra a abertura do processo de impeachment.

Upiara Boschi: Carmen Zanotto é favorita para Secretaria de Saúde no governo de Daniela Reinehr

Pelo menos um deles, Marcos Vieira, fez uma declaração enfática ao governador de que não vai mudar de posição. Depois de um final de semana tenso pela aprovação da abertura do processo de impeachment com endosso unânime dos cinco desembargadores e o voto do deputado estadual Laércio Schuster (PSB), a segunda-feira melhorou o clima entre os governistas e reacendeu esperanças sobre o retorno de Moisés ao final do julgamento político-jurídico.

Conversei com Marcos Vieira no final da noite de segunda-feira e ele confirmou a disposição de manter o voto contra o impeachment de Moisés. Ele ressalta que de todas as acusações da peça inicial do julgamento, a única que recebeu seis votos e será analisada é a da suposta omissão por não impedir a consumação da compra dos 200 respiradores com pagamento antecipado de R$ 33 milhões.

- Eu não vou mudar. Só se vierem provas novas. Eu pergunto, mesmo que alguém possa dizer que Moisés foi omisso, esse pecado é tão grande para determinar a cassação de um governador? - questiona o tucano.

Marcos Vieira nega que haja contradição entre o voto que deu em plenário para autorizar a abertura do processo em outubro do ano passado e a posição no Tribunal do Impeachment na sexta-feira.

- São situações completamente diferentes. O primeiro voto foi pela admissão do processo, e na condição de deputado estadual, entendia haver possíveis indícios de cometimento de crime de responsabilidade. Na dúvida, entendi que devia permitir, naquele momento, o prosseguimento do processo. Após composto o Tribunal Especial, e já na condição de julgador, tinha que dar o meu voto no sentido de reconhecer ou não se o governador Carlos Moisés cometeu ou não crime de responsabilidade. E nessa condição, de julgador, após examinar toda a documentação acostada ao processo, entendi de que ele não cometeu crime de responsabilidade - afirma.

Para receber os textos, lives, podcasts e comentários na NSC TV de Upiara Boschi no WhatsApp, clique no link Para receber no Telegram, é só clicar em https://t.me/upiaransc

Upiara Boschi

Colunista

Upiara Boschi

Faz a leitura e a análise do contexto do cenário político de Santa Catarina, com informações de bastidores. Explica motivações e consequências das principais decisões tomadas nos poderes do Estado.

siga Upiara Boschi

Upiara Boschi

Colunista

Upiara Boschi

Faz a leitura e a análise do contexto do cenário político de Santa Catarina, com informações de bastidores. Explica motivações e consequências das principais decisões tomadas nos poderes do Estado.

siga Upiara Boschi

Mais colunistas

    Mais colunistas