Navegue por

publicidade

Viviane

Saúde

Mitos e verdades sobre a meningite

Compartilhe

Por Viviane Bevilacqua
20/05/2018 - 08h00 - Atualizada em: 20/05/2018 - 08h00
Banco de Dados, 09.11.2015

A meningite meningocóccica é uma infecção bacteriana séria que pode causar sequelas e até mesmo levar a óbito. Por isso, é importante conhecer a doença e saber como se prevenir. Confira abaixo alguns mitos e verdades, com esclarecimentos do médico infectologista Celso Freitas. 

- Qualquer pessoa, em qualquer faixa etária, tem a possibilidade de desenvolver a doença meningocócica. VERDADE

“A Doença Meningocócica (DM) pode acometer indivíduos em qualquer faixa etária, porém a doença é mais comum em bebês, crianças até cinco anos, e mais rara em idosos.”

 

- A meningite meningocóccica é transmitida de pessoa para pessoa, através de secreções respiratórias. VERDADE

“Os meningococos, bactérias que causam a doença, podem ser transmitidos de uma pessoa para outra por meio do contato direto com gotículas respiratórias através de tosse, espirro, beijo, beber no mesmo copo ou comer com talheres de outra pessoa.

 

- Após a exposição à bactéria (meningococo), as manifestações iniciais da doença demoram para se desenvolver. MITO

“A doença caracteriza-se por possuir um início abrupto e evolução rápida, podendo levar ao óbito entre 24 e 48 horas. O período médio de incubação da infecção pelo meningococo é de 4 dias, com um intervalo de 2 a 10 dias.

- Os primeiros sintomas da doença são coceira e diarreia. MITO

“Os sinais e sintomas iniciais da doença meningocócica — incluindo febre, irritabilidade, dor de cabeça, perda de apetite, náusea e vômito — podem ser confundidos com outras doenças infecciosas. Na sequência, o paciente pode apresentar manchas arroxeadas na pele, rigidez na nuca e sensibilidade à luz. Após 15 horas, o quadro clínico geralmente evolui para confusão mental, convulsão, sepse e choque, falência múltipla de órgãos e risco de morte.

 

- A meningite meningocóccica pode deixar sequelas ou levar à óbito. VERDADE

“Mesmo quando a doença é detectada precocemente e tratada de maneira adequada, de 10% a 20% dos indivíduos acometidos sofrem com danos cerebrais, perda auditiva ou dificuldade de aprendizado. O desafio maior é o diagnóstico precoce, já que os sintomas são inespecíficos como os de uma virose.”

 

- Uma das principais formas de prevenção é a vacinação. VERDADE

“A vacinação é considerada a forma mais eficaz na prevenção da doença. Outras formas de prevenção são evitar aglomerações, e manter os ambientes ventilados e limpos. 

 

Deixe seu comentário:

publicidade

Navegue por
© 2018 NSC Comunicação
Navegue por
© 2018 NSC Comunicação