O congelamento de óvulos é uma técnica de reprodução assistida que vem crescendo ao redor do mundo, se tornando inclusive um benefício trabalhista de algumas empresas. Porém, o assunto ainda é cercado de muitas dúvidas e tabus.

Continua depois da publicidade

Clique aqui e receba notícias no WhatsApp

Para esclarecer informações sobre o assunto, o mestre em medicina reprodutiva Dr. Matheus Roque, diretor do Mater Lab, em São Paulo, explica o que é mito e o que é verdade em relação ao procedimento. Confira!

1. Existe uma idade-limite para congelar óvulos

MITO. O Dr. Matheus Roque afirma que não existe uma idade-limite para congelar os óvulos, contudo, quanto antes, melhor. Idealmente, o processo deve acontecer antes dos 35, visando melhores resultados.

Continua depois da publicidade

“A partir dos 35 anos, a qualidade dos óvulos vai caindo de maneira mais importante, apresentando menores chances de sucesso quando congelados após os 35 anos comparado a antes dessa idade. Porém, é melhor, por exemplo, que uma mulher tenha óvulos congelados aos 40, do que chegar a uma idade acima disso, precisar fazer um tratamento de fertilização e não ter mais óvulos ou, mesmo que tenha, serão óvulos de menor qualidade”, explica.

2. O procedimento é invasivo

VERDADE. Apesar de ser minimamente invasivo, é bom a paciente ter consciência de que precisará tomar medicações para estimular o amadurecimento de diversos óvulos. Ademais, receberá uma pequena dose de anestesia para realizar a aspiração dos óvulos, que será feita guiada por ultrassom transvaginal, estando a paciente sedada para a realização do procedimento.

3. O congelamento ajuda quem quer adiar a maternidade

VERDADE. O médico explica que o congelamento de óvulos é indicado para preservar a fertilidade de mulheres que não querem ser mães no momento ou estejam passando por tratamentos de saúde que prejudiquem a fertilidade, como tratamentos oncológicos.

Continua depois da publicidade

“O procedimento não é a garantia de uma gravidez futura. Mas ele visa potencializar as chances de gravidez futura com o próprio material genético, caso essa mulher precise fazer um tratamento de reprodução assistida”, afirma.

4. Os óvulos congelados têm prazo de validade

MITO. Após o congelamento, os óvulos não possuem um prazo de validade. E, mesmo após descongelados, eles permanecem com as mesmas características e qualidade genética do momento em que foram congelados, não trazendo risco à mulher.

Endometriose: veja as causas, os sintomas e os tratamentos

Ilustração de congelamento de óvulos
A doação de óvulos exige critérios rigorosos, como ser saudável e não fumante (Imagem: YULIA_988 | Shutterstock)

5. Pode-se doar óvulos congelados    

VERDADE. Existe uma série de fatores a serem considerados na hora de doar óvulos congelados. Entre eles, é preciso ter de 18 a 37 anos, ser saudável e não fumante, passar por uma bateria de exames e não ter doenças transmissíveis.

Continua depois da publicidade

6. O congelamento de óvulos não é um procedimento seguro

MITO. O congelamento de óvulos é um procedimento seguro, principalmente se realizado em clínicas especializadas e reconhecidas pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA). É essencial realizar diversos exames antes de realizar o procedimento, a fim de trazer segurança e conforto a todos os envolvidos.

Por Carolina Ribeiro

Leia também

Conheça os benefícios da música para o desenvolvimento infantil

Benefícios da ioga para gestantes

Quarto do bebê: aproveite o espaço

Destaques do NSC Total