nsc
an

Trânsito

"Abracei como se fosse minha filha", diz homem que ajudou meninas em acidente na SC-110, em Jaraguá do Sul

Colisão causou a morte de Valdeni e Vilda, que eram avós das crianças

17/03/2021 - 16h20 - Atualizada em: 17/03/2021 - 20h03

Compartilhe

Cláudia
Por Cláudia Morriesen
foto mostra acidente na SC-110
Acidente ocorreu na rodovia estadual por volta das 19h40 de segunda-feira
(Foto: )

O acidente que tirou a vida de um homem e uma mulher de Jaraguá do Sul na noite de segunda-feira (15) também contou com um momento de solidariedade em meio à tragédia. No carro que trafegava atrás de Valdenir Antunes e Vilda Lemoni Antunes, que trafegavam pela SC-110 com as netas de quatro e de seis anos, vinha uma família que pode oferecer um pouco de conforto imediato às crianças. 

> Quer receber notícias de Joinville e Norte de SC por WhatsApp? Clique aqui

Jeferson Luiz Zanata, morador de Pomerode, voltava para casa com os pais e um colaborador da empreiteira da família em Jaraguá do Sul. Era um dia comum da rotina: eles pegaram a SC-110 pouco depois das 19 horas e viram um Honda Civic passar muito rápido pela pista e ultrapassá-los. Poucos metros à frente, eles presenciaram a colisão que causou a morte de Valdenir e Vilda.

> Painel do Coronavírus: veja em mapa e dados por cidade como está a situação da pandemia

—Só vi que o Civic bateu na Brasília. Não deu para entender se ele cortou a frente ou se foi o motorista da Brasília. Só deu pra ver que o Civic foi parar em outra pista, nem vimos como eles (as vítimas) foram jogados para fora do carro — analisou Jeferson.

Com 1.609 mortes em 17 dias em SC, março é o mês com mais óbitos na pandemia

Quando parou o carro e acendeu o pisca alerta, Jeferson imediatamente viu Valdenir, que havia sido lançado para fora do veículo e ainda estava vivo, ao lado de uma das netas, a menina de quatro anos. Ela ficou desorientada por alguns instantes, levantou e foi para o meio da pista. 

— Eu abri a porta e ela já veio correndo para o meu colo. Abracei como se fosse a minha filha. Olhamos para o lado e tinha a senhora com a outra menininha. Minha mãe pegou a criancinha no colo, eu peguei a outra menina e meu pai foi ver o casal. Tinha roupa, sapatinho das crianças, tudo pela pista — contou ele. 

Enquanto tudo acontecia, as meninas choravam e pediam para que não deixassem os avós morrerem. Na confusão, ele chegou a ligar para a polícia antes de acertar o número dos bombeiros. Foi ele também quem, com a ajuda de um homem que estava no local, conseguiu localizar os familiares das crianças para avisá-los do acidente. 

Nesta terça-feira, sabendo que os casal estaria sendo velado em Jaraguá do Sul, Jeferson e os pais foram novamente prestar assistência à família. Para as meninas, levaram cestas com chocolates, como uma Páscoa adiantada para tentar amenizar um pouco do trauma vivido na noite anterior.

— Eu falei para um parentes deles: estavam enterrando dois parentes, mas têm que agradecer porque as menininhas nasceram de novo — diz Jeferson.  

Colunistas