nsc
santa

Polícia

Ação truculenta de guardas em Balneário Camboriú é alvo do Ministério Público

Objetivo é apurar se houve abuso de autoridade durante a ocorrência que terminou com homem baleado e mulher agredida

08/06/2021 - 15h18

Compartilhe

Talita
Por Talita Catie
Guardas municipais deram tiro em jovem negro e bateram em mulher
Guardas municipais deram tiro em jovem negro e bateram em mulher
(Foto: )

A ocorrência de perturbação de sossego atendida pela Guarda Municipal (GM) de Balneário Camboriú na noite da última sexta-feira (3) virou alvo de uma apuração do Ministério Público de Santa Catarina. Nesta semana, a 8ª Promotoria de Justiça da cidade instaurou procedimento para verificar se houve abuso de autoridade por parte dos servidores envolvidos.

> Receba notícias do Vale do Itajaí pelo WhatsApp

Um vídeo (veja abaixo) que ganhou repercussão nas redes sociais mostra a ação truculenta dos agentes públicos durante a abordagem. Um homem negro ficou ferido com tiros de bala de borracha e uma mulher levou um tapa no rosto de um dos guardas. 

O Ministério Públicou também pediu à Polícia Civil que abra um inquérito criminal e procedimento administrativo à Corregedoria da Guarda Municipal. O prefeito Fabrício Oliveira (Podemos) determinou o afastamento dos homens até a conclusão de uma sindicância interna para apurar as responsabilidades.

Relembre o caso

Tudo começou após denúncias de que havia som alto no local. Segundo a GM, os agentes teriam tentado conversar com os sócios e colaboradores do estabelecimento, quando um homem teria entrado e investido contra a guarnição. Os agentes, então, teriam dado um tiro no braço direito do jovem, conforme testemunhas.

Os sócios e colaboradores contam que os guardas municipais chegaram ao local quando não havia mais clientes e apenas os donos estariam arrumando o estabelecimento para finalizar o expediente. Relatos dizem que os agentes teriam chegado com força desproporcional e falta de respeito.

As imagens que circulam nas redes sociais mostram o momento após o tiro dos agentes no jovem negro. Uma mulher que filmava a abordagem da Guarda pergunta: "Que tipo de ameaça ele representou pra tu ter atirado contra ele?".

Conforme o vídeo, a discussão continua e um agente se aproxima segurando uma arma e dá um tapa no celular dela, dizendo "vai todo mundo preso, hein?". Outro guarda, que estava mais afastado, intimida: "Se falar mais alguma coisa, eu vou prender a senhora".

Em seguida é possível ouvir tiros na gravação. O celular volta a filmar um guarda municipal, que sai do estabelecimento, empurra pessoas que estão fora do local com a arma e começa a atirar da calçada. Uma mulher, então, pede para que o agente pare com os disparos: "Para, por favor!". O guarda, então, se aproxima e dá um tapa nela.

Assista ao vídeo de parte da ação.

Colunistas